Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Voltar Bitcoin (BTC) cai 10% e pode voltar para 17 mil dólares, segundo especialista

O Bitcoin (BTC) fechou a última semana com uma queda diária de 10%. A criptomoeda se aproxima dos US$ 20 mil, onde pode ser seu próximo suporte. Segundo dados do CoinMarketCap, a capitalização de mercado da somatória de todos criptoativos cai 9,53% a US$ 1,01 trilhão. A semana havia começado positiva para as criptomoedas e todos esperavam que os últimos dias seriam de tranquilidade nas cotações.

O Ether (ETH), criptoativo da rede de contratos inteligentes da Ethereum, apresentou na última semana fortes quedas, chegando a apresentar uma variação negativa de 13% em US$ 1.623. O bitcoin diminuiu a dominância de mercado em cima do Ether, e o Ether diminuiu levemente sua dominância sobre o mercado. A dominância do bitcoin e do ether é de, respectivamente, 39,8% e 19,7%.

Para Iara Thamires Alves, especialista em criptomoedas, a princípio haverá uma correção na região de US$ 20 mil para buscarmos suporte e consolidação de preço. “Caso perca o suporte poderemos ver o preço testando o antigo fundo em US$ 17 mil”, comenta.

A especialista em criptomoedas comenta que após os dados de inflação dos EUA referentes ao mês de julho divulgados no início deste mês virem melhores que o esperado, investidores se animaram e tanto as bolsas como as criptomoedas iniciaram um rali de alta, porém a situação macroeconômica está completamente incerta e a pressão inflacionária ainda persiste.

“Vários dados, tais como divulgação da inflação do produtor na Alemanha em 37,2% ao ano, além do país ter dito que só tem gás para mais 3 meses, Japão pelo quarto mês seguido tem um aumento na inflação, registrando maior índice desde 2014, China além da inflação, está com problema no setor imobiliário, guerra entre Rússia e Ucrânia que não chega ao fim, e por último, a divulgação da Ata do Fomc que deixou claro o objetivo de baixar a inflação e para isso tem que subir ainda mais os juros”, explica.

Para ela, existem muitos indicadores que apontam para uma recessão global que foram divulgados nesta semana e, mesmo assim, os mercados estavam subindo, comportamento controverso, pois esses dados deveriam amedrontar os mercados.

“Além disso, o Bitcoin estava em uma zona de briga de preço entre 20 e 25k durante os últimos 30 dias fazendo um padrão gráfico que indica reversão. Uma cunha ascendente tem normalmente o seu rompimento para baixo”, diz.

O Ethereum, após 6 semanas de alta influenciado pelo “the merge”, também teve uma queda de 6%. “Os investidores estão animados com a atualização e muitos estão segurando visando lucro na data da transição, fato que fez a criptomoeda cair menos em relação às outras criptomoedas”, comenta.

Em análise OnChain, Thamires diz ser possível observar que as carteiras que possuem mais de mil bitcoins aproveitaram essa alta dos últimos dias e começaram a vender, sinal bearish.

“Em meio a toda essa situação, a correção desse movimento de alta já era prevista na minha opinião, pois essa valorização não era sustentável, dado que a macroeconomia impacta os ativos de risco”, complementa.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã