Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Voltar Vin Diesel: o que se sabe sobre acusação de agressão sexual contra o ator

Vin Diesel está sendo acusado de agressão sexual durante as filmagens do filme ‘Velozes e Furiosos 5: Operação Rio’, em 2010. Na sexta-feira (22), o ator, de 56 anos, negou as acusações feitas pela ex-assistente de produção Asta Jonasson. Além do episódio denunciado por Asta, o ator já protagonizou outra situação de assédio, em 2016, durante uma entrevista à youtuber brasileira Carol Moreira, quando fez comentários considerados “desconfortáveis” pela influenciadora.

A autora da acusação atual alega que Diesel a encurralou, passou a mão no seu corpo e masturbou-se, mesmo após repetidas tentativas de recusar os avanços. Em nota divulgada pela revista People, o advogado de Diesel afirma: “Vamos ser claros: Vin Diesel nega categoricamente as acusações por completo”.

“Esta é a primeira vez que ele ouve falar dessa afirmação de mais de 13 anos feita por uma suposta funcionária que teria estado com ele por nove dias. Há evidências claras que refutam completamente essas alegações bizarras”, continuou o comunicado.

Entenda o caso

A revista americana Vanity Fair teve acesso aos documentos da ação judicial e descreve que Asta foi contratada pela empresa de Vin Diesel, One Race, para trabalhar na produção de “Velozes e Furiosos 5: Operação Rio”, em Atlanta.

Recém-formada na Escola de Cinema de Los Angeles, ela era encarregada de organizar festas e acompanhar o ator em eventos. Além disso, ela tinha que ficar próximo de Diesel caso ele estivesse com mulheres quando sua namorada, Paloma Jiménez, não estivesse presente.

Em setembro de 2010, Asta foi solicitada a ficar na suíte de Vin Diesel, no hotel St. Regis, enquanto ele entretia duas mulheres que havia trazido de uma boate. Os documentos do processo dizem que, quando elas foram embora, o ator teria agarrado os pulsos da então assistente e a puxado para a cama. Asta alega que recusou o avança, conseguiu se soltar e se posicionou perto da porta da suíte, na esperança de que ele iria embora.

No entanto, a petição inicial narra que Diesel se aproximou, passou as mãos nos seios da assistente e beijou seu pescoço. Ela novamente implorou que ele parasse, presa entre o medo de recusar seu chefe com mais afinco e a necessidade de sair do quarto para garantir sua segurança.

O ator não deu ouvidos, mas ficou de joelhos e levantou a saia de Asta até a cintura, passando as mãos por sua perna e por sua virilha. Quando ele tentou remover sua calcinha, a assistente gritou e correu para o banheiro.

Vin Diesel teria seguido Asta, encurralado ela contra a parede e a forçado a colocar a mão em seu pênis ereto, mesmo após ser recusado repetidas vezes. O ator, então, se masturbou. Segundo a petição, ela desviou o olhar e tentou desassociar-se do que estava acontecendo para evitar enfurecer seu chefe.

Horas depois, a irmã de Vin Diesel e presidenta da One Race, Samantha Vincent, entrou em contato com a assistente para rescindir seu contrato, menos de duas semanas após a contratação.

Asta havia assinado um acordo de confidencialidade como parte de seu contrato, que a impedia de falar sobre o incidente nos anos seguintes. Mas, graças ao ‘Speak Out Act’ – legislação que permite a quebra de confidencialidade em casos de assédio e agressão sexual – e empoderada pelos movimentos #MeToo e ‘Time’s Up’, ela conseguiu quebrar o silêncio e iniciar o processo legal.

Carol Moreira

A conversa tinha como gancho o lançamento do filme “xXx: Reativado”, no qual o ator interpreta o personagem Xander Cage. O ator americano interrompeu a entrevista em vários momentos com frases como “Meu Deus, você é tão bonita”, “Vamos sair daqui, vamos almoçar”, “Eu estou apaixonado pela entrevistadora” e “Ela é muito sexy”. No final, o ator chegou a se ajoelhar diante da youtuber.

“Eu ri, completamente desconfortável. Não sabia muito bem o que fazer, só ria porque eu estava numa situação muito delicada”, disse a youtuber, na época. “Mas a verdade é que eu não gostei disso. Na hora eu não soube reagir, mas eu estava desconfortável. Não foi legal, ele interrompeu o meu trabalho.”

Vin Diesel respondeu alguns dias depois, com um pedido de desculpas pelo Facebook. “Como todos sabem, tento manter as minhas entrevistas mais brincalhonas e divertidas, especialmente quando estou na zona Xander. Mas, se ofendi alguém, peço desculpas pois nunca foi minha intenção”, disse o ator.

O episódio causou um alvoroço nas redes sociais. Alguns usuários defenderam a youtuber, comparando Vin Diesel com o cantor Biel, que assediou uma jornalista em maio do mesmo ano. Outros defenderam o ator, dizendo que ele estava simplesmente elogiando a youtuber. A influenciadora foi acusada de usar o caso para se promover. Na época, Carol Moreira respondeu que estava “muito triste com essa repercussão equivocada de que eu quero fama ou aparecer. Já chorei muito hoje e não consigo dormir”.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde