Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Voltar Vencedor do Oscar, ator Nicolas Cage trabalhou, nos últimos anos, como poucos para pagar suas dívidas

Nicolas Cage é um dos nomes mais inusitados, na falta de melhor palavra, de Hollywood. Vencedor do Oscar, membro de uma família de grandes artistas, apaixonado por animais e quadrinhos, e que nos últimos anos trabalhou como poucos, com direito a seis, sete filmes por ano para pagar suas dívidas.

O ator chega aos cinemas na pele de si mesmo na comédia “O peso do talento”, em que faz inúmeras referências não apenas ao “Nick Cage real”, mas também àquele que foi criado pela internet.

Dinastia de artes

Nascido Nicolas Kim Coppola, o ator é filho do professor de literatura August Coppola, irmão do diretor Francis Ford Coppola e da atriz Talia Shire. Sua mãe, Joy Vogelsang, era dançarina e coreográfica. É primo da diretora Sofia Coppola e do ator Jason Schwartzman.

Em seus primeiros trabalhos, o ator foi creditado como Nicolas Coppola. Também no início da carreira, trabalhou em filmes do tio mais famoso, Francis Ford Coppola: “O selvagem da motocicleta” (1983), “Cotton Club” (1984) e “Peggy Sue, seu passado à espera” (1986).

Quadrinhos

Durante as filmagens de “Picardias estudantis” (1982), quando ainda usava o nome Nicolas Coppola, o ator ficou incomodado com as brincadeiras envolvendo seu famoso sobrenome. Fã dos quadrinhos de Luke Cage, da Marvel, e do compositor John Cage, Nicolas resolveu então adotar o Cage em seu nome artístico.

Paixão por super-heróis

Como a escolha do nome deixa claro, Nicolas Cage é um grande apaixonado por quadrinhos. E foi também um grande colecionador de HQs. Inclusive, em um período de dificuldade econômica no início dos anos 2000, o ator foi obrigado a se desfazer dos mais de 400 itens de sua coleção, que foram vendidos por US$ 1,6 milhão, um valor considerado baixo para um acervo que continha as primeiras aparições de super-heróis como Batman e Superman. Recentemente, Nick manifestou o interesse em recuperar a coleção.

O ator também demonstrou sua paixão por super-heróis nos cinemas. Ele interpretou Johnny Blaze em dois filmes do “Motoqueiro Fantasma” e foi o Homem-Aranha Noir de “Homem-Aranha no aranhaverso”. Isso sem falar no projeto do “Superman” de Tim Burton, no início dos anos 1990, que nunca saiu do papel.

Compras excêntricas

Nick Cage sempre teve um hábito particular de compras. Além da coleção de quadrinhos, o ator teve gastos significativos com imóveis, carros, animais e objetos dos mais diversos. Ele chegou a ter uma coleção de nove cabeças de pigmeus.

Um dos casos mais famosos foi a compra de um crânio de dinossauro por US$ 276 mil em um leilão. Posteriormente, o ator descobriu que o objeto havia sido contrabandeado da Mongólia. Ele devolveu o crânio para o governo local, mas nunca recebeu o dinheiro de volta.

Dívidas incontroláveis

As compras excêntricas, as opções profissionais equivocadas e os muitos casamentos deixaram Nicolas Cage com muitas dívidas. O ator, que chegou a ter uma fortuna avaliada em US$ 150 milhões, se viu com dívidas de US$ 14 milhões apenas em impostos. Ele chegou a considerar um pedido de falência, mas optou por trabalhar para sair do buraco. Entre 2009 e 2022, Cage fez mais de 50 filmes para conseguir isso, mas hoje já não possui mais dívidas.

Recusou clássicos

É piada recorrente entre os fãs do ator que ele não recusa filmes, até por causa do problema com as dívidas. Mas não foi sempre assim. Ele, inclusive, recusou algumas oportunidades bem significativas. Preocupado em passar tempo com os filhos, Nick recusou os convites para atuar nas trilogias “O Senhor dos Anéis” e “Matrix”, pois não queria passar três anos filmando na Nova Zelândia e na Austrália, respectivamente.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Em Marte, robô chinês encontra indícios da existência de água na superfície do planeta por mais tempo do que se pensava
Teste da linguinha em bebês: obrigatório em maternidades, método é criticado por pediatras
Deixe seu comentário

No Ar: Caiçara Confidencial