Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Voltar Socialite Narcisa Tamborindeguy é criticada após postar vídeo no mar pedindo apoio às vítimas do RS

Narcisa Tamborindeguy, socialite carioca, foi criticada nas redes sociais nesta terça-feira (14) depois de postar um vídeo pedindo apoio às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. O problema, apontado por seguidores, foi o cenário escolhido por ela: dentro do mar.

“Vamos ajudar o Rio Grande do Sul”, diz Narcisa no vídeo, em que aparece saindo da água. “Eu amo o Rio Grande do Sul! O meu ️coração está com vocês! Estamos juntos. Jamais os abandonaremos. Somos do mesmo sangue”, escreveu ela na legenda da publicação no Instagram.

“Gente, não tinha ninguém para avisar a ela que muitas pessoas morreram afogadas nas enchentes e perderam tudo por conta do volume da água?”, escreveu um seguidor. Outro defendeu a socialite: “Não tem como ficar bravo com a nossa Narcisa. Ela tem um coração de amor”.

Nos stories, Narcisa postou o link de uma campanha de arrecadação de doações para as vítimas das enchentes.

Número de mortes

Aumentou para 149 o número de mortes provocadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, de acordo com balanço divulgado nesta terça-feira pela Defesa Civil Estadual.

Pelo menos 112 pessoas estão desaparecidas e 806 ficaram feridas. Mais de 620 mil encontram-se desalojadas ou desabrigadas.

No total, 446 municípios do Estado registraram danos em razão dos temporais. Conforme o boletim da Defesa Civil, mais de 2,12 milhões de pessoas foram afetadas pelas cheias que assolam o RS.

Ajuda internacional

O Brasil, diferente de países como Japão e Estados Unidos, não está preparado para situações de catástrofe. As recentes tragédias em Brumadinho, Mariana, São Sebastião e Petrópolis, dentre outras tantas evidenciam a urgente necessidade de cidades e Estados estarem preparados para enfrentar situações como a que o Rio Grande do Sul vive desde o dia 3 de maio.

A ONG internacional Cadena, dedicada à prevenção e assistência em desastres e crises, chegou a Porto Alegre com uma equipe especializada para coordenar a ajuda humanitária. Além de mapeamento de processos, a organização disponibilizou ferramentas de tecnologia de gestão, garantindo agilidade aos processos iniciados pela SOS RS. A associação entregará, ainda, nos próximos dias, purificadores de água para moradores de comunidades vulneráveis.

A entidade já atuou em mais de 30 países como México, EUA, Israel, Guatemala, Turquia, Espanha e Honduras; são quase 1.500 intervenções que chegaram a mais de 4,5 milhões de pessoas que precisavam de suporte humanitário emergencial.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã