Terça-feira, 28 de junho de 2022

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Voltar Simone Tebet diz que será candidata se vencer pesquisa, mesmo com ameaça de Doria de judicialização

A dois dias do prazo estabelecido pelo colegiado do MDB, PSDB e Cidadania para o anúncio do nome que pode representar os três partidos em conjunto nas urnas, a pré-candidata emedebista à Presidência, senadora Simone Tebet (MS), disse nesta segunda-feira (16), que respeitará o resultado e que seguirá em campanha, mesmo na hipótese de seu adversário no grupo, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB), judicializar o resultado caso saia derrotado.

“Nós aceitamos as regras do jogo e amanhã temos o resultado dela. Se porventura o meu nome for indicado na [pesquisa] quali, eu serei pré-candidata pelo meu partido, independente de outros partidos se somarem conosco ou não”, afirmou a senadora, durante palestra em ciclo de debates promovido pela Associação Comercial de São Paulo. A fala é a primeira reação pública da emedebista após o acirramento da crise no PSDB neste fim de semana.

Doria sinalizou aos tucanos que pode recorrer à Justiça Eleitoral para questionar uma eventual decisão da Executiva Nacional do PSDB a favor de Tebet como representante do grupo à Presidência. As siglas buscam se viabilizar como a chamada terceira via contra a polarização colocada entre Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Aliados do ex-governador acusam a sigla de “golpe”, após a contratação de pesquisas qualitativas e quantitativas pelas cúpulas do seu partido, do Cidadania e do MDB para a definição de uma chapa única na disputa pela Presidência. Doria argumenta que o PSDB não pode recuar da decisão tomada pelas prévias da sigla, chancelando o nome do ex-governador como pré-candidato do partido.

Já parte da Executiva e o presidente do PSDB, Bruno Araújo, avaliam que a candidatura própria e o nome de Doria só serão definitivos mediante decisão da convenção nacional do partido; todas as siglas devem validar seus candidatos a qualquer cargo em disputa entre os dias 20 de julho e 5 de agosto.

“Se ele não aceitar os resultados da pesquisa, e eu for a escolhida, eu sigo firme e forte”, disse Tebet. Em pesquisa PoderData publicada nesta segunda-feira, 16, Doria aparece à frente das intenções de voto para presidente com 4% ante a 2% da senadora. Entretanto, dados de rejeição do eleitorado favorecem a emedebista.

Simone Tebet ainda destacou que a reconstrução do Brasil passa por “partidos sólidos e a boa política” e que não há nada “fora” da política: “Antes, a gente tinha essa anomia social, a sociedade entendeu que a política resolveria seus problemas e apostou em outsiders”.

Com ataques à política ambiental e ao desgaste da democracia por parte do presidente e aos escândalos de corrupção do PT, Tebet diz que faz parte de um movimento que oferece alternativas a Bolsonaro e Lula. Entre as prioridades de seu programa de governo, a emedebista destacou a importância da reforma tributária.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Porto Alegre antecipa início da Operação Inverno em razão da previsão de frio intenso
Impacto da inflação brasileira em abril segue maior para os mais pobres
Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã