Quinta-feira, 13 de junho de 2024

Quinta-feira, 13 de junho de 2024

Voltar Saiba o que prevê o cessar-fogo entre Israel e Hamas aprovado pelo Conselho de Segurança da ONU

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) aprovou uma resolução de cessar-fogo na guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas na Faixa de Gaza. O placar da votação, realizada na segunda-feira (10), foi 14 votos a favor, zero contra e uma abstenção, da Rússia.

O texto, elaborado pelos israelenses e proposto ao Conselho pelos Estados Unidos, pressiona o grupo terrorista a aceitar os termos. A resolução demanda “as duas partes a aplicarem plenamente os seus termos, sem demora e sem condições”.

A aprovação da resolução, no entanto, não significa que as partes em guerra irão cumpri-la. O acordo é previsto para ter três fases. Na primeira, o plano prevê os seguintes termos: cessar-fogo absoluto com duração de seis semanas, retirada das forças de Israel das áreas densamente povoadas da Faixa de Gaza e libertação de reféns sequestrados durante o ataque do grupo terrorista Hamas, entre eles mulheres, idosos e feridos, em troca da libertação de prisioneiros palestinos detidos por Israel.

Após semanas trabalhando nesse acordo junto a Israel, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acredita que o cessar-fogo pode levar à libertação dos reféns remanescentes em poder do Hamas na Faixa de Gaza e aos capítulos finais da guerra, iniciada em 7 de outubro de 2023. O conflito causou a morte de mais de 37 mil palestinos até o momento, entre combatentes e civis, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas.

Conforme Biden, que explicou a proposta de cessar-fogo, nessa primeira fase os reféns americanos seriam libertados, e os corpos dos reféns que estiverem mortos seriam devolvidos às suas famílias. Caso as negociações para a libertação das pessoas sequestradas demorarem mais do que as seis semanas previstas, o cessar-fogo continuará, com EUA, Egito e Catar trabalhando nas mesmas.

O plano também prevê maior assistência humanitária para Gaza durante o período, com 600 caminhões sendo permitidos para entrar no país diariamente.

A segunda fase incluiria os seguintes termos: libertação dos demais reféns, entre eles homens e soldados, em troca de prisioneiros palestinos detidos por Israel e retirada total das tropas israelenses da Faixa de Gaza.

A terceira fase prevê o início de uma grande reconstrução de Gaza. “Enquanto o Hamas cumprir seus compromissos, o cessar-fogo temporário se tornaria, nas palavras da proposta israelense, ‘a cessação das hostilidades de forma permanente’”, disse Biden.

Segundo o governo americano, a proposta de cessar-fogo israelense, aprovada pelo Conselho da ONU, está nas mãos do Hamas desde 30 de maio. Cerca de 250 reféns israelenses foram levados pelo grupo no ataque contra Israel em 7 de outubro. Mais de 100 deles foram libertados durante o primeiro e único, até o momento, cessar-fogo na guerra, em novembro de 2023. Cerca de 120 pessoas permanecem sob o poder do Hamas em Gaza. Israel acredita que dezenas delas estejam mortas.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Embalos & Loterias