Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Voltar Rússia diz que está aumentando a produção de armamento para atacar a Ucrânia

A Rússia afirmou que está aumentando a produção de munição para as forças de linha de frente na Ucrânia enquanto continua sua pressão para tomar território, apesar de sofrer pesadas perdas e fazer pouco progresso em meses de combate intenso.

Em um discurso para altos oficiais militares neste sábado, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse que o ministério e o governo estão monitorando constantemente o fornecimento de armas e munições para a zona de guerra na Ucrânia e estão aumentando a produção em empresas-chave do setor militar-industrial do país.

“A escala do fornecimento dos tipos de munição mais necessários foi especificada e as medidas necessárias estão sendo tomadas para aumentá-la, disse Shoigu na reunião televisionada.

Shoigu instruiu os produtores de armas russos a dobrar sua produção de armas guiadas com precisão, de acordo com a mídia estatal russa. No início desta semana, ele visitou fábricas em duas regiões da Rússia. Ele foi exibido inspecionando projéteis de artilharia, tanques e morteiros.

Racionamento

A escassez de projéteis de artilharia tem sido um grande problema para ambos os lados, já que a guerra entra em seu 15º mês e a Rússia coloca sua economia em pé de guerra e se prepara para uma campanha prolongada.

A escassez prejudicou particularmente o avanço da Rússia, que continua sua pressão para capturar a cidade de Bakhmut após meses de combates pesados, com Kiev repelindo ataques constantes e se preparando para uma contra-ofensiva no Leste.

Autoridades ocidentais disseram no mês passado que a escassez de munição russa piorou a ponto de um racionamento extremo de projéteis de artilharia provavelmente estar em vigor em muitas partes do front.

Outras autoridades europeias de defesa concordaram com a avaliação, com uma delas enfatizando que a Rússia estava trabalhando com parceiros, incluindo a Coreia do Norte, para comprar munição rapidamente enquanto aumentava a produção.

O racionamento de artilharia nas linhas de frente tem sido uma das principais razões para o recente fracasso da Rússia em obter ganhos militares na Ucrânia, e Moscou provavelmente está recorrendo ao uso de estoque de munições antigas que anteriormente foram classificadas como impróprias para a guerra, disseram as autoridades.

No início de janeiro, o chefe do Estado-Maior russo Valery Gerasimov assumiu o comando da operação militar na Ucrânia em uma tentativa de reorientar o esforço em avanços militares e supervisionar uma ofensiva de inverno destinada a estender o controle russo sobre a região de Donbass, no Leste da Ucrânia.

O Ministério da Defesa do Reino Unido disse neste sábado que, devido ao alto custo desta campanha, a Rússia desperdiçou a vantagem de mão de obra que ganhou depois de mobilizar 300 mil homens nas fileiras de suas forças armadas em setembro.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde