Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Voltar Queda de ações do Nubank fez a fortuna de seu fundador cair 30 bilhões de reais

A forte queda das ações do Nubank fez a fortuna de seu fundador David Vélez cair R$ 30 bilhões, o que levou o empreendedor a sumir dos postos mais altos das listas dos maiores bilionários do planeta. No momento da abertura de capital do banco digital, em dezembro, Vélez tinha um patrimônio em ações do Nubank avaliado em R$ 50 bilhões. Na quarta (11), novo dia de baixa acentuada do papel da fintech em Nova York, seus papéis no neobanco valiam R$ 20 bilhões. Só em 2022, o Nubank acumula queda de 58% e na quarta, pela primeira, vez foi negociado abaixo de US$ 4.

Vélez, que é colombiano, chegou a ser mais rico, no momento do IPO, que sete dos dez brasileiros com as maiores fortunas na famosa lista de pessoas mais ricas do mundo da Forbes. Ficava atrás apenas do fundador do Facebook, Eduardo Saverin, e de Jorge Paulo Lehman e Marcel Herrmann Telles, fundadores da Ambev.

A lista atualizada em tempo real da publicação norte-americana mostrava ontem Vélez na posição 671 no mundo. Ele está atrás do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, que ocupa a posição 448 com patrimônio de US$ 5,5 bilhões.

Vélez pode recuperar a fortuna perdida, caso as ações do Nubank voltem a subir, claro. Um fator-chave para o comportamento das ações no curto prazo será o balanço do banco digital do primeiro trimestre, que será divulgado na próxima segunda-feira (16). O mercado teme que o Nubank mostre desaceleração no crescimento, ou forte alta em gastos com provisões e da inadimplência.

A queda atual, porém, distancia a ação do Nubank das faixas definidas no acordo de remuneração variável fechado entre a fintech e Vélez, no ano passado, e que há duas semanas chamou atenção do mercado. O empreendedor ganhará bônus com base em ações da fintech caso os papéis sejam negociados acima de US$ 18,69 por um determinado período. Segundo o neobanco, o acordo responde por 100% da remuneração variável de seu CEO nos próximos anos.

Criptomoedas

O Nubank anunciou nesta semana a sua entrada no mercado de criptomoedas. Agora, os mais de 50 milhões de clientes da fintech no Brasil vão poder comprar e vender moedas virtuais diretamente no aplicativo do banco digital.

De acordo com o comunicado de anúncio emitido pelo Nubank, a novidade faz parte a estratégia de ampliação de portfolio de produtos e para atender às necessidades dos seus clientes. A fintech prometeu oferecer uma experiência fácil e segura.

A nova função do aplicativo do Nubank já começou a ser disponibilizada para os clientes neste mês de maio, mas o processo acontece de forma gradual e a expectativa é que toda a base de usuários receba o recurso até o final de junho.

Ainda segundo o banco digital, as ofertas iniciais de Bitcoin e Ethereum no app partem de R$ 1,00. O novo produto é fruto de uma parceria com o provedor de infraestrutura de blockchain Paxos, que atua como corretora e realiza a custódia das criptomoedas.

Antes deste lançamento, os clientes podiam ter acesso a criptomoedas por meio de ETFs e fundos oferecidos pela plataforma NuInvest, o que agora pode ser feito diretamente por meio da experiência de cripto no app do Nubank.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Safra de cereais, leguminosas e oleaginosas deste ano deve totalizar 261 milhões de toneladas, 8,3 milhões a mais do que em 2021
Ministro da Economia, Paulo Guedes, promete prioridade total para a privatização da Petrobras
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE