Terça-feira, 23 de julho de 2024

Terça-feira, 23 de julho de 2024

Voltar Psicólogos que atuaram na tragédia da Boate Kiss ajudarão famílias da creche em Blumenau

Psicólogos especialistas em estresse pós-traumático estarão a disposição de familiares das vítimas e de funcionários da Creche Cantinho do Bom Pastor, onde um homem matou quatro crianças e feriu outras quatro na quarta-feira (5). A informação foi dada por Alexandre Matias, secretário de Educação de Blumenau (SC), município onde o atentado ocorreu, durante coletiva de imprensa.

De acordo com a prefeitura de Blumenau, trata-se de uma equipe do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) que se especializou em lidar com casos de estresse pós-traumático após as enchentes que atingiram o Estado em 2008. No episódio, 135 pessoas morreram e milhares tiveram de deixar suas casas.

Em 2013, parte da equipe foi emprestada para atuar em Santa Maria, no estado vizinho do Rio Grande do Sul, quando o incêndio da Boate Kiss matou mais de 200. Lá, os psicólogos prestaram auxílio aos familiares das vítimas da tragédia, que completou dez anos em janeiro.

Na manhã de quarta, um homem de 25 anos saltou o muro da Creche Cantinho do Bom Pastor e, com uma machadinha, assassinou quatro crianças e deixou outras quatro feridas. Ele deixou o local e seguiu de moto até o 10° Batalhão da Polícia Militar de Santa Catarina, onde se entregou. Segundo afirmou o delegado-geral Ulisses Gabriel, o investigado deverá responder por homicídio qualificado.

A Polícia Civil pediu a quebra de sigilo telefônico e telemático do homem, e busca determinar se o autor do ataque agiu sozinho ou contou com algum tipo de ajuda. A Meta, empresa dona do Facebook, garantiu às autoridades que as páginas do criminoso nas redes serão preservadas.

A investigação quer verificar se ele usou a rede social para se comunicar com outras pessoas. Em um primeiro momento, a Polícia Civil descarta a participação direta ou indireta de terceiros no ataque.

Sobre o autor do ataque, segundo a investigação, ele não tinha nenhum tipo de relação com a escola. Há dois anos, ele tentou matar o próprio padrasto a facadas, de acordo com a polícia.

Em dezembro do ano passado, ele quebrou o portão da casa do padrasto e esfaqueou um cão no local. Ele também tinha anotações criminais por porte de cocaína e por ter se envolvido em uma briga em uma casa noturna.

As quatro crianças que morreram em ataque à creche Cantinho do Bom Pastor foram veladas e enterradas nessa quinta-feira (6), em Blumenau. As vítimas são Bernardo Cunha Machado, de 5 anos, Bernardo Pabst da Cunha, de 4, Larissa Maia Roldo, de 7 e Enzo Marchesin Barbosa, de 4.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã