Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Voltar Poupança tem rentabilidade abaixo da inflação há dois anos

Quem deixou algum valor guardado na poupança desde agosto de 2020, na esperança de fazer o dinheiro render bastante, não obteve sucesso. Há dois anos, a caderneta tem retorno abaixo da inflação. De acordo com um levantamento feito pela plataforma TC/Economatica, neste período a rentabilidade real foi negativa em 8,86%, o que significa que os poupadores perderam poder de compra.

Mesmo com o país tendo registrado deflação nos últimos dois meses — queda dos preços ligada principalmente ao barateamento dos combustíveis —, o desempenho da poupança não foi interessante. Em agosto, o rendimento real foi de -1,85%, enquanto em julho foi de -3,52%. Mesmo assim, dados do Banco Central (BC) indicam que atualmente há mais de R$ 985 bilhões aportados na caderneta.

Fernanda Della Monica, sócia e head comercial da 3A Investimentos, diz que, com a Selic, a taxa básica de juros, no patamar de 13,75% ao ano, há boas opções na renda fixa, como papéis de LCA e LCI, isentos de impostos; CRAs e CRIs; além de debêntures incentivadas.

“Embora a inflação seja indexador de alguns investimentos, estamos preferindo alocar naqueles que remuneram de acordo com o CDI (taxa próxima à Selic), para aproveitar a oportunidade dessa alta de juros”, comenta Fernanda, acrescentando que “hoje, há um leque enorme de alternativas porque o mercado Brasil vem crescendo a nível global. Temos possibilidades que não tínhamos no passado, e a poupança acaba ficando defasada”.

A opção mais simples para substituir a poupança, na opinião de Bruno Brostoline, analista de renda fixa da Ativa Investimentos, é o Tesouro Selic. Para ele, muitos brasileiros ainda não sabem disso por falta de educação financeira.

“Ambos têm baixo risco e não sofrem com oscilação de mercado. A diferença de rentabilidade é que, no momento, o Tesouro Selic rende cerca de 13,65% ao ano e a poupança rende 6,17% mais Taxa Referencial”, compara.

Fernando Felipe, sócio e especialista em investimentos da Veedha, aponta que a poupança não é um bom negócio por ter rentabilidade mensal. Caso o cliente deixe o dinheiro aplicado por 25 dias, por exemplo, vai retirar exatamente a quantia que aplicou, ao passo que, no Tesouro Direto, a rentabilidade é diária, com pequenos acréscimos no montante um dia após o outro.

“O Brasil é um país que tem inflação muito alta. Então, dificilmente a poupança vai ganhar da inflação”, explica Felipe.

Taxa Selic

A remuneração da poupança varia de acordo com a Selic. Quando a taxa de juros está abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento equivale a 70% da taxa somados à variação da Taxa Referencial (TR). Já quando a Selic está em patamar superior a 8,5% ao ano, a rentabilidade passa a ser de 0,5% ao mês mais a TR, ou 6,17% ao ano mais a TR.

Em nenhum dos casos, segundo Fernando Felipe, da Veedha, aplicar na poupança tem sido vantajoso.

“Mesmo sendo isenta de imposto, em qualquer cenário, mesmo estando na maior alíquota, a poupança tem rendimento baixo quando comparado ao Tesouro Selic. O que aconteceu nesses últimos meses é que a inflação foi muito mais alta do que o normal, enquanto a taxa básica de juros foi para 2%, o que fez a caderneta render bem menos”.

Fernanda Della Monica, da 3A Investimentos, acrescenta que a TR está com um valor muito baixo, que não chega em 1% em 12 meses.

“Estamos falando que ela vem mês a mês 0,16% e, no máximo, 0,20%. O que acontece é que, quando pegamos a remuneração da poupança em relação a taxa de juros hoje, que é 13,75%, fica desinteressante para o investidor, pois ele tem outras alternativas de investimentos muito melhores. Para perpetuar o patrimônio ao longo do tempo, é preciso fazer com que o dinheiro renda acima da inflação”, finaliza.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Bom Dia Caiçara