Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Voltar Porto Alegre registra redução de 25% nas mortes por acidentes

A Prefeitura de Porto Alegre, por meio da SMMU (Secretaria de Mobilidade Urbana) e EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), divulgou o balanço da acidentalidade do mês de março.

Em relação ao número de vidas perdidas no trânsito, foi registrada uma redução de 25% em relação a março de 2021, de quatro para três, todas vítimas de atropelamento com automóvel.

Dois homens, uma mulher, uma das vítimas idoso. Se o comparativo for feito em relação ao primeiro trimestre, a redução é de 21%, de 14 para 11 vidas perdidas. No entanto, a EPTC alerta para aumento no número de acidentes com vítimas em relação ao ano anterior.

Se compararmos março deste ano com o anterior, o número geral de acidentes aumentou 48%, de 741 para 1.098 ocorrências. Os acidentes com vítimas aumentaram de 38%, de 296 em março de 2021 para 409 no mesmo período deste ano. Se a comparação for em relação ao primeiro trimestre, o número de acidentes aumentou 24%, de 2.324 para 2.896, e o de acidentes com feridos 17%, 910 para 1.065.

“Neste ano as pessoas estão circulando mais, com a vacinação, abertura do comércio e retomada do trabalho presencial. O registro de mobilidade mostra circulação semelhante ao verificado em 2019. Precisamos da colaboração de todos para reduzir esses números de acidentes ”, destaca o diretor-presidente da EPTC Paulo Ramires. O diretor também alerta para os registros de morte no mês de março, todos resultados de atropelamento por automóvel.

“No trânsito sempre o maior deve cuidar do menor, mas os pedestres precisam ter a consciência de buscar, ao máximo, ser vistos. Atravessar em locais permitidos e assim, evitar situação de risco”, explica Ramires. As ações específicas para evitar atropelamentos serão intensificadas pela EPTC.

Motociclistas

O número de vítimas fatais em acidentes que envolvem motocicletas também apresentou redução, passou de seis em 2021 para quatro em 2022 (33%) o que representa 36% do total de vidas perdidas em razão de acidentes.

O número de acidentes aumentou 8%, de 683 para 739. Todas as vítimas que perderam a vida em acidentes envolvendo motos eram os condutores. A EPTC segue com ações diárias de educação e infraestrutura de fiscalização para reduzir a acidentalidade nesse modal.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Bolsonaro volta a criticar o Supremo e diz que tribunal “interfere em tudo”
Governo pede que Tribunal Superior Eleitoral arquive apuração contra Bolsonaro em crise do Ministério da Educação
Deixe seu comentário

No Ar: Caiçara Confidencial