Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Voltar Polícia Federal e Imigração dos Estados Unidos prendem, em Miami, carioca procurado há 20 anos por triplo homicídio

A Polícia Federal e o Serviço de Imigração dos Estados Unidos prenderam em Miami Marcelo Henrique Negrão Kijak, foragido há 20 anos por triplo homicídio. Natural do Rio de Janeiro, ele estava na lista de Difusão Vermelha da Interpol a pedido da Justiça Brasileira.

Ele é acusado de ser responsável por um acidente de trânsito que matou três jovens em março de 2003, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ele estava no aeroporto de Miami utilizando um passaporte israelense com outro nome, e tentava embarcar em um voo para Israel.

A localização e prisão de Marcelo Henrique foram feitas pelas autoridades americanas após atuação conjunta dos policiais federais do Núcleo de Capturas Internacionais da Polícia Federal com apoio do Núcleo de Cooperação Policial Internacional no Rio de Janeiro.

O preso foi encaminhado ao sistema prisional americano até a extradição definitiva para o Brasil.

Brasileiro preso nos EUA

O brasileiro Marcus Spavenelo, de 34 anos, foi preso neste sábado no Tennessee, nos Estados Unidos, por suspeita de envolvimento no desaparecimento e morte de sua ex-mulher, a americana Cassie Carli, de 37. Ela tinha sido vista pela última vez em 27 de março, quando se encontrou com Spanevelo – pai de sua filha de 4 anos – no estacionamento de um restaurante de Navarre Beach, na Flórida.

No dia seguinte à prisão do brasileiro, o corpo da americana foi encontrado em uma cova rasa na cidade de Birmingham, no estado do Alabama, que faz divisa com a Flórida.

“Descobrimos o corpo dela durante a execução de um mandado de busca no Alabama. Estava em um celeiro, em uma cova rasa”, disse o xerife do condado de Santa Rosa, Bob Johnson, em entrevista coletiva.

Johnson informou que Spavenelo foi preso sob a acusação de adulteração de provas, fornecimento de informações falsas sobre uma investigação de pessoas desaparecidas e destruição de provas.

“Ele foi totalmente não cooperativo, ele nunca cooperou conosco”, disse o xerife. “É a mãe do seu bebê e ela está desaparecida e você não vai cooperar com as autoridades, isso é meio que revelador”, acrescentou.

Spavenelo e Cassie tinham a guarda compartilhada da criança. Os dois travavam uma disputa judicial pela guarda da menina e, de acordo com amigos da vítima, o brasileiro ameaçava trazer a filha para o Brasil.

A menina estava na companhia de Spanevelo no momento em que o brasileiro foi preso. De acordo com as autoridades americanas, a menina está segura e foi entregue à família da mãe.

O carro de Cassie foi encontrado pelos investigadores no estacionamento onde ela se encontrou com Spanevelo. Havia alguns pertences da vítima no automóvel, mas o celular da vítima desapareceu. Segundo o xerife, o brasileiro se livrou do aparelho.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Rússia dá ultimato para que Ucrânia se retire de Mariupol
Após compra de Elon Musk, ações do Twitter disparam na bolsa de valores
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE