Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Voltar Percentual de álcool na gasolina pode aumentar para 30%

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, disse nessa sexta-feira (4) que o governo considera aumentar o percentual de álcool na mistura com gasolina vendida nos postos, de 27% para 30%.

“A ideia é passar para 30%. Vamos ter a gasolina mais limpa do mundo, além do carro flex, com etanol e gasolina”, disse Alckmin durante agenda em Passo Fundo (RS), onde participou do anúncio de construção de uma nova usina de etanol. “Há um estudo”, acrescentou ele pouco depois.

O aumento de combustíveis chamados limpos, de origem vegetal, já é promovida em combustíveis fósseis como o diesel, cuja mistura de biodiesel subiu para 12% em março. A previsão do Conselho Nacional de Política Energética, responsável por aprovar o aumento, esse percentual deverá chegar a 15% até 2026.

De acordo com a empresa Be8, que anunciou a construção da primeira usina de etanol no Rio Grande do Sul, o investimento será de R$ 556 milhões e a unidade deverá estar pronta no segundo semestre de 2025. Devem ser produzidos também farelos a partir do processamento de cereais como milho, e trigo.

Ao falar com jornalistas, Alckmin também anunciou o financiamento de até R$ 20 bilhões, pelos próximos quatro anos, para investimentos em pesquisa e inovação de biocombustíveis. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é a principal instituição financiadora.

O vice-presidente disse ainda que o Brasil tem a oportunidade de se tornar líder na produção de combustíveis para aviação, numa corrida com países como os Estados Unidos para suprir uma transformação energética do setor.

Ao lado de Alckmin, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que o estado mapeou outras seis localidades onde pretende que sejam construídas novas usinas de etanol. Hoje a produção estadual de etanol é quase inexistente, e o governo pretende chegar a 24% com o investimento nas usinas.

Queda

Os preços médios da gasolina e do etanol caíram pela 4ª semana seguida nos postos de combustíveis do País. É o que mostram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgados nessa sexta. A pesquisa é referente à semana de 30 de julho a 5 de agosto.

A gasolina foi comercializada, em média, a R$ 5,52. O valor representa uma queda de 0,54% frente aos R$ 5,55 da semana anterior, segundo os dados da ANP. O preço máximo do combustível encontrado nos postos foi de R$ 7,30.

O preço médio do etanol, por sua vez, caiu para R$ 3,62 na última semana. O recuo foi de 1,63% em relação aos R$ 3,68 da semana anterior. O preço mais alto identificado pela ANP foi de R$ 6,73.

Já o litro do diesel voltou a subir após 25 semanas e foi encontrado nos postos, em média, a R$ 4,94. A alta foi de 0,41% frente aos R$ 4,92 da semana anterior. O valor mais caro encontrado pela agência na semana foi de R$ 7,19.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã