Quarta-feira, 24 de julho de 2024

Quarta-feira, 24 de julho de 2024

Voltar Pai e filha encontram navio que encalhou e afundou em 1871

Tudo começou como um típico passeio para Tim Wollak e sua filha, Henley, de 4 anos. Em uma manhã clara de 13 de agosto, eles partiram em seu barco da costa leste de Wisconsin, nos EUA. O céu estava azul e as águas planas e calmas – as condições perfeitas para explorarem as águas rasas da baía e procurarem os “walleyes”, peixes de caça de olhos grandes, comuns no Lago Michigan. Mas então, cerca de três horas depois de sua jornada, Wollak, um vendedor de equipamentos médicos de 36 anos, e Henley viram suas vidas se cruzando com a história. Um naufrágio de 1871 estava prestes a se revelar.

À medida que avançavam pelos baixios da Green Island, o sonar do barco forneceu imagens de sombras, areia e formações rochosas no fundo da baía, cerca de 3 metros abaixo deles. Então, um amontoado de objetos longos e finos apareceu, formando um padrão regular demais para ter sido moldado pelas ondas. Wollak voltou-se para Henley e perguntou: “‘O que você acha que é?’ Ela pensou que era um polvo.”

Naufrágio

Os Grandes Lagos serviram como um local vital para o comércio no século 19, proporcionando uma passagem marítima para a Costa Leste pelo Canal Erie. Mais de 3 mil embarcações se perderam no Lago Michigan, de acordo com Brendon Baillod, presidente da Associação de Arqueologia Subaquática de Wisconsin.

No dia 11, historiadores de Wisconsin analisaram as imagens e identificaram os destroços como possivelmente de George L. Newman, um navio de madeira de 36 metros de comprimento e três mastros que afundou em 1871.

“O navio foi abandonado, ficou coberto com areia e foi amplamente esquecido – até ficar exposto e ser localizado por Wollaks”, disse a Sociedade Histórica de Wisconsin. A família de vive em Peshtigo, no nordeste de Wisconsin, uma área que prosperou no século 19 graças à indústria madeireira, mas também enfrentou incêndios e fumaça devido às práticas do setor.

Em 8 de outubro de 1871, o George L. Newman, carregando madeira, foi envolto pela fumaça de um incêndio em terra. O incêndio Peshtigo acabou queimando 1,2 milhão de acres no nordeste de Wisconsin e na Península Superior de Michigan. Estimase que 2 mil pessoas morreram, tornando-o um dos incêndios mais mortíferos da história dos EUA.

A fumaça era tão densa que o faroleiro manteve a luz acesa durante o dia em Green Island, mas o navio encalhou. A tripulação foi resgatada, mas a embarcação foi perdida.

Depois que o Programa de Preservação Marítima da sociedade histórica detectou as fotografias de Wollak, ele se uniu a conservacionistas do Departamento de Recursos Naturais para investigar o naufrágio usando um veículo operado remotamente e concluiu que sua localização correspondia ao que se sabia sobre o destino do navio.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde