Quinta-feira, 30 de junho de 2022

Quinta-feira, 30 de junho de 2022

Voltar Os monarcas que reinaram por mais tempo e onde fica a rainha Elizabeth 2ª

“Inquieta é a cabeça que carrega uma coroa”, escreveu o dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616) em sua peça “Henrique 4º”, destacando o fardo da responsabilidade que recai sobre os ombros de qualquer monarca.

Chama a atenção, então, quando esses reis e rainhas passam anos e anos no trono.

É o caso da rainha Elizabeth II do Reino Unido, que celebra seu 70º aniversário como soberana do Reino Unido e da Commonwealth britânica (grupo de países que reúne as ex-colônias britânicas).

Ela reinou por mais tempo do que qualquer um de seus ancestrais britânicos — incluindo a rainha Vitória, que ocupou o trono por mais de 60 anos — e atualmente é a soberana viva mais longeva do mundo.

No entanto, Elizabeth II não detém — ainda — o registro histórico da monarca que ocupou o trono por mais tempo.

Então, quem reinou por mais tempo e a que distância a rainha britânica está do primeiro lugar?

1)  Luís 14 da França

Conhecido como Rei Sol, Luís 14 reinou por 72 anos e 110 dias.

Ele assumiu a coroa francesa em 14 de maio de 1643, aos quatro anos, o que explica em parte seu impressionante reinado, o mais longo da história.

Luís 14 foi um defensor do direito divino dos reis e consolidou um sistema de monarquia absoluta, tornando-se um dos mais poderosos monarcas franceses.

Ele construiu o majestoso Palácio de Versalhes e seus jardins, deixando um legado que influenciou o início dos tempos modernos e a Revolução Industrial.

Morreu em 1º de setembro de 1715, poucos dias antes de seu 77º aniversário.

2) Bhumibol Adulyadej da Tailândia

Até sua morte em outubro de 2016, o rei Bhumibol era o monarca vivo mais longevo.

Ele reinou por 70 anos e 126 dias, de 9 de junho de 1947 a 13 de outubro de 2016, e viu um total de 30 primeiros-ministros.

Embora sofresse de problemas de saúde e raramente fosse visto em público em seus últimos anos, ele era um farol de estabilidade em um país atormentado por ciclos de convulsões políticas e múltiplos golpes.

Curiosamente, Bhumibol não estava destinado a ser rei. Seu irmão mais velho era o príncipe herdeiro, mas teve uma morte repentina do, o que levou Bhumibol a deixar seus estudos na Suíça para assumir o trono tailandês.

Como uma figura reverenciada na Tailândia e considerada quase divina, qualquer crítica ao monarca era motivo de prisão ou exílio.

3) Elizabeth II do Reino Unido

A rainha Elizabeth II herdou o trono de seu pai, George VI, coroado em 1937. Ele se tornou rei depois que seu irmão Edward 8º abdicou por querer se casar com Wallis Simpson, uma plebeia americana divorciada.

Após a morte de George 6º, Elizabeth II ascendeu ao trono em 6 de fevereiro de 1952.

Embora ainda seja muito ativa aos 96 anos, ela ultimamente passou alguns de seus deveres oficiais ao filho, o príncipe Charles, e ao neto William.

Também parou de usar a capa pesada e a coroa para cerimônias de Estado, vestindo um traje moderno e elegante.

Neste ano, Elizabeth II não compareceu à abertura do Parlamento britânico, a segunda vez que isso aconteceu em seus mais de 70 anos como rainha — a outra foi quando estava grávida.

Em 9 de maio de 2022, ela se tornou a terceira monarca reinante mais longeva, 70 anos e 92 dias nessa data, superando Johann 2º de Liechtenstein.

E, em menos de um mês, passará para o segundo lugar, superando o reinado de 70 anos e 126 dias do rei Bhumibol da Tailândia.

No entanto, terá de esperar até meados de 2024 para ocupar a primeira posição.

4) Príncipe Johann II de Liechtenstein

Johann ascendeu ao trono aos 18 anos e reinou de 12 de novembro de 1858 a 11 de fevereiro de 1929. Ele foi monarca do pequeno principado que fica entre a Suíça e a Áustria por 70 anos e 91 dias.

Conhecido como Johann II, o Bom, estabeleceu relações estreitas com a Suíça, país com o qual celebrou um acordo aduaneiro e adotou sua moeda, o franco suíço.

Ele converteu o principado em uma monarquia constitucional em 1921 e era um conhecido como patrono de arte.

No entanto, tinha a reputação de ser anti-social e não frequentava eventos públicos com frequência.

5) K’inich Janaab Pakal de Palenque

K’inich Janaab Pakal, também conhecido como Pakal II ou Pakal, o Grande, foi um ahau ou governante do senhorio maia de B’aakal, agora conhecido como Palenque, no estado de Chiapas, México.

Ele ascendeu ao trono aos 12 anos e governou de 26 de julho de 615 até sua morte em 31 de agosto de 683: um reinado de 68 anos e 33 dias.

A cena de sua entronização está esculpida em alto relevo em um painel da Casa “C” do Palácio de Palenque.

Em 1952, o arqueólogo mexicano Alberto Ruz Lhuillier anunciou a descoberta da tumba de Pakal, incluindo seu sarcófago com um esqueleto vestido com objetos funerários.

A civilização maia atingiu seu auge entre 250 e 900, quando dominou grandes áreas do que hoje é o sul do México, Guatemala, Belize e Honduras.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Consumo de café reduz risco de morte em até 31%
Fernanda Gentil é alvo de homofobia em aeroporto do Rio de Janeiro
Deixe seu comentário

No Ar: Embalos & Loterias