Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Voltar Novo boletim apresenta dados sobre incidência de HIV/Aids em Porto Alegre

Porto Alegre registrou 1.028 casos de infecção por HIV em 2022. Desses, 675 foram casos de HIV e 353 casos de Aids. Desde 2017, a Capital apresenta o número de casos de HIV maior que o de Aids, sugerindo que mais pessoas vêm sendo diagnosticadas na fase inicial da doença em vez de em estágios mais avançados.

As informações são do boletim divulgado, nesta sexta-feira (22), pela equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A publicação traz informações referentes aos casos de residentes de Porto Alegre que estão registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e tiveram o diagnóstico entre os anos de 2013 e 2022.

“A oferta e a descentralização da testagem rápida possibilitam o diagnóstico precoce e início do tratamento”, explica a chefe da Unidade de Vigilância Epidemiológica, Aline Vieira Medeiros.

No mesmo ano, a Capital apresentou taxa de detecção de Aids de 47,9 casos por 100 mil habitantes, considerado o dobro em relação ao Rio Grande do Sul e três vezes mais do que a média nacional. A mortalidade por Aids é ainda mais agravante, pois Porto Alegre ocupou o primeiro lugar no ranking das capitais brasileiras, tendo coeficiente de mortalidade por Aids com 23,8 óbitos por 100 mil habitantes em 2022.

Entenda

HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) é o vírus causador da Aids, que ataca células específicas do sistema imunológico, responsáveis por defender o organismo contra doenças. Ter HIV não significa que a pessoa desenvolverá Aids; porém, uma vez infectada, a pessoa viverá com o HIV durante toda sua vida.

Aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é a doença causada pelo HIV, que ataca células específicas do sistema imunológico, responsáveis por defender o organismo de doenças. Em um estágio avançado da infecção pelo HIV, a pessoa pode apresentar diversos sinais e sintomas, além de infecções oportunistas e alguns tipos de câncer.

Monitoramento

A Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS) faz o monitoramento dos indicadores no município dos pacientes com Aids de 13 anos ou mais e crianças menores de cinco anos. A publicação traz a atualização dos indicadores de Porto Alegre e aborda o trabalho do Comitê de Mortalidade por Aids, organizado desde 2011. Mostra informações relativas a variáveis como sexo, raça/cor, faixa etária e casos conforme as coordenadorias de saúde da cidade. Também analisa o número de casos de HIV e Aids em crianças menores de cinco anos.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde