Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Voltar Nova votação para prefeito de Garibaldi foi acompanhada por equipe de projeto destinado a aprimorar as eleições no Brasil

Pesquisadores do Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores (Larc) da Universidade de São Paulo (USP) acompanharam de perto todo o processo de votação para prefeito de Garibaldi (Serra Gaúcha), realizado no domingo (3). O objetivo foi coletar subsídios para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprimorar os próximos pleitos no País.

A equipe contou com os analistas Eduardo Seiti Teruiya, Fernando Frota Redigolo e Ákio Nogueira Barbosa, além  de agentes da própria Justiça Eleitoral. Eles conferiram a montagem de algumas seções eleitorais, incluindo a chamada “zerésima” – documento emitido pela urna eletrônica antes da abertura do expediente para atestar que ainda não há qualquer voto registrado para candidatos.

Essa parceria com a USP foi firmada em outubro passado, no âmbito do projeto “Eleições do Futuro”, do TSE. “Temos nos reunido com frequência e compreendido todos os detalhes do processo”, relatou um dos pesquisadores. “É muito importante ter essa visão mais ampla e percebê-la em toda sua complexidade, o que ajuda a identificar pontos a serem melhorados.”

Durante todo o horário de votação o grupo também conversou com mesários de diferentes seções eleitorais. O acompanhamento, aliás, não se resumiu à votação em si: os enviados pela Universidade de São Paulo observaram as etapas de apuração e a totalização dos votos no cartório eleitoral.

O coordenador de Sistemas Eleitorais do TSE, José de Melo Cruz, reforçou os elogios à presença da equipe: “Para quem irá propor alternativas de inovação no processo, é fundamental conhecer o processo na prática, até para verificar quais inovações podem se adaptar a esse modelo de trabalho”.

Quem também percorreu os locais de votação foi o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), desembargador Arminio José Abreu Lima da Rosa. Ele estava acompanhado do vice-presidente e corregedor da Corte Regional, desembargador Francisco José Moesch.

Dentre os 25,3 mil cidadãos e cidadãs que ajudaram a escolher o novo chefe do Executivo municipal de Garibaldi, havia muitos com menos de 18 ou mais de 70 anos – faixas para os quais não é obrigatório o comparecimento às urnas no Brasil.

Resultado

O candidato Sérgio Chesini (PP) foi o vencedor e comandará a prefeitura de Garibaldi até o final de 2024. Ele recebeu a preferência de 81,1% do eleitorado (13.732 votos), seguido por Sandro Cisilotto (PT), com 18,81%.

Denominado “eleição suplementar” pelo TSE, pleito foi necessário devido à cassação do diploma de Alex Carniel (PP), escolhido pela população em 2020 mas que acabou cassado em novembro do ano passado, por abuso de poder econômico e político, ficando também inelegível por oito anos.

Sérgio Chesini, seu então vice, também foi afastado mas sem condenação a inegibilidade, o que permitiu concorrer novamente – e sair vitorioso.

Ao todo, 19.485 pessoas compareceram às urnas, o equivale a 78,3% da população local apta a votar (consequentemente, a abstenção ficou em 21,7%). Foram 16.914 votos válidos (86,8% do total), 1.275 em branco (6,54%) e 1.296 nulos (6,6%).

O desembargador Armínio José Abreu considerou que a abstenção se mostrou bem abaixo da projetada inicialmente: “A participação do eleitorado de Garibaldi representa bem o sentimento da coletividade sobre a importância do exercício do direito cívico de escolher seus representantes”.

(Marcello Campos)

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Ministério da Saúde lança campanha de vacinação contra gripe e sarampo
Confira onde se vacinar contra a Covid nesta terça em Porto Alegre
Deixe seu comentário

No Ar: Caiçara Confidencial