Domingo, 23 de junho de 2024

Domingo, 23 de junho de 2024

Voltar Mecânico pode ter de responder por mortes de jovens em BMW

O mecânico que fez a alteração e customização da BMW onde quatro jovens morreram intoxicados poderá responder pelas mortes. As vítimas morreram após a inalação de monóxido de carbono jogado para dentro do carro, pelo escapamento, que foi modificado.

A customização foi feita para alterar o “ronco” do motor. A polícia já identificou a oficina onde o procedimento foi realizado e deve apontar se a alteração levou à morte do grupo.

O caso ocorreu em Balneário Camboriú (SC), no primeiro dia de 2024. A perícia identificou que ocorreu uma desconexão entre o motor e o sistema de escapamento do gás do carro.

As vítimas ficaram dentro do veículo por mais de três horas, fechados e com o ar-condicionado ligado. Os jovens aguardavam uma amiga, próximo de uma rodoviária, e decidiram descansar dentro do veículo. Eles foram encontrados mortos horas depois. O grupo é natural de Paracatu (MG) e a BMW era da mãe de uma das vítimas.

Monóxido de carbono

A morte dos jovens de 16, 19, 21 e 24 anos, levanta o alerta sobre os riscos do gás monóxido de carbono.

Como esse gás não tem cheiro nem cor, as vítimas não percebem caso haja um vazamento.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), as moléculas de monóxido de carbono se ligam à hemoglobina (responsável pelo transporte de oxigênio dos nossos pulmões para todo o organismo) presente no sangue.

Isso dificulta a circulação e distribuição do oxigênio – essencial para vida humana – no corpo, o que pode levar à morte por asfixia.

O monóxido de carbono, também conhecido como CO, é um gás invisível e sem cheiro que, se inalado, pode causar problemas de saúde ou até mesmo causar a morte de forma repentina.

O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) explica que, quando inalamos o monóxido de carbono, o gás “toma o lugar” do oxigênio no nosso sangue.

Isso acontece porque a hemoglobina se liga ao monóxido de carbono cerca de 200 a 300 vezes mais do que ao oxigênio, formando a carboxiemoglobina e impedindo a ligação do oxigênio à hemoglobina.

Consequentemente, isso faz com que nossos órgãos fiquem privados de oxigênio, fundamental para a vida. Não tendo oxigênio, as células do nosso corpo não produzem energia e morrem.

Os sintomas mais comuns de envenenamento por monóxido de carbono são os seguintes:

* Dores de cabeça;
* Tontura;
* Fraqueza;
* Dores abdominais e vômitos;
* Dor no peito; e
* Confusão mental.

O problema é que, na maioria das vezes, as vítimas não percebem que estão sob efeito do monóxido de carbono justamente porque o gás não tem cheiro nem cor.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã