Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Voltar MDB começa a abandonar Simone Tebet, de olho no apoio a Jair Bolsonaro

Começa a crescer dentro do MDB a tendência de apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, depois que os deputados e senadores do partido perceberam a dificuldade da pré-candidata, a senadora Simone Tebet, em avançar nas primeiras pesquisas. Deputados e senadores temem uma redução na bancada se o partido não apoiar um candidato competitivo. Na verdade, a ideia da candidatura da senadora Simone Tebet foi uma saída honrosa que ela encontrou para evitar uma derrota vexatória no Mato Grosso do Sul, onde a ex-ministra da Agricultura Tereza Cristina é franca favorita na disputa ao Senado. No Rio Grande do Sul, o apoio de lideranças do MDB a Jair Bolsonaro tem crescido nos últimos dias. Resta saber se as raposas do MDB aguardarão a convenção nacional na segunda quinzena de julho ou se puxarão o tapete da pré-candidata antes disso.

Sem votos, governo adia projeto de adesão ao RRF

O governo gaúcho fez as contas ontem e percebeu que não tinha os 28 votos necessários para aprovar o projeto de lei complementar que promove ajustes na lei do teto de gastos estadual. Esse projeto é um dos pré-requisitos para a adesão do estado ao regime de recuperação fiscal.

O Governo tentará votar o projeto na próxima terça-feira. Até lá, busca convencer os deputados da base a garantirem o minimo de 28 votos. Ontem, a estimativa indicava a garantia de apenas 21 votos favoráveis em plenário.

Mobilização de pré-candidatos e entidades funcionou

A forte mobilização dos pré-candidatos ao governo, o ex-ministro Onyx Lorenzoni (PL) e o senador Luis Carlos Heinze (PP) mais a rejeição dos partidos de esquerda como o PT, PSOL e PSB e a campanha da OAB e da AJURIS (Associação dos Juizes do RS) surtiram efeito junto aos deputados.

Acabou o milagre no RS

Sem os generosos repasses do governo federal, mais a redução das alíquotas do ICMS, e a queda no crescimento da economia, a arrecadação do Rio Grande do Sul caiu pelo segundo mês consecutivo. O fechamento da economia durante a pandemia com o mantra do “fique em casa que a economia a gente vê depois” traz seus reflexos agora. A receita de abril ficou em R$ 3,9 bilhões (menos 3,5%, conforme ajustes pelo IPCA). Também no acumulado do ano houve queda – R$ 11,2 bilhões (-7,2% reais, conforme ajustes pelo IPCA).

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Onyx e Heinze juntos pela derrubada da renegociação da dívida
Tem gente no STF apostando na crise institucional?
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE