Domingo, 23 de junho de 2024

Domingo, 23 de junho de 2024

Voltar Jade Picon revela assédio na adolescência e fala sobre “amadurecimento precoce”

Jade Picon foi a convidada dessa quinta-feira (7) do podcast “E você?”, apresentado por Manuela Xavier. Durante o papo, a atriz e influenciadora falou sobre o início da carreira, a relação com a família e revelou o assédio que sofreu aos 15 anos de idade, quando estava no elevador do prédio onde morava.

Quando comentava sobre respeitar os próprios limites e entender suas intuições, ela exemplificou relembrando um episódio que marcou a adolescência.

Ela contou que estava voltando para casa com duas amigas, quando sentiu que não deveria entrar no elevador com um homem que não conheciam. Depois desse episódio, ela afirmou que passou a respeitar sempre que sentia um pressentimento ruim sobre algo.

“Eu pensei ‘como vou explica para as minhas amigas que não vamos entrar nesse elevador?’ Eu fiquei com vergonha… Então, a gente entrou, ele passou a mão em nós, foi um terror. Foi traumático! Aí eu falei: ‘Nunca mais eu vou não me escutar’. Acho que todo trauma que acontece é ruim, mas precisa, até para você dar um sentido na sua vida, tirar algo de bom, uma lição.”

Ela também comentou que, por ter começado a carreira muito cedo, passou por um “amadurecimento precoce”, o que cobrou muitos aprendizados quando era ainda muito nova. Nesse processo, ela disse que enfrentou muito ódio gratuito e teve de lidar com comentários repletos de críticas e hates… os quais ela lia todos!

“Tudo o que tinha para sofrer com a internet, já foi, amor! [risos] Eu gosto de ler, porque já não me afeta mais. Eu lia comentários, existiam críticas e ódio gratuito. Foi também uma experiência para ler essas críticas e concordar com elas e usá-las a meu favor”, relembrou o período em que gravou a novela “Travessia”.

Na sequência, ela emendou sobre as cobranças que recebe ao longo da carreira: “Por ter começado muito nova, a galera me vê com 22 anos, mas me cobra uma postura de uma mulher de 35”. Apesar disso, ela também disse estar aprendendo a relevar o que considera necessário e que se sente mais confiante diante de tantas pessoas acompanhando sua vida.

“Vestido um top com estampa de olhos, ela explica a escolha da roupa: “Eu cresci sendo observada por milhões de olhos que, hoje, eu me sinto confortável o suficiente para vesti-los. Estou tão bem nessa fase [da vida], nunca estive tão a frente das minhas decisões. É como se os milhões de olhos agora não interferissem mais.”

O programa finaliza em um papo sobre feminismo e revelou que Grazi Massafera e Anitta foram duas mulheres que a apoiaram muito, especialmente após dar início ao seu primeiro trabalho como atriz:

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã