Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Voltar Furacão Ian causa duas mortes na Flórida, diz governador

Duas pessoas morreram durante a passagem do furacão Ian pela Flórida, segundo informado pelo governador Ron DeSantis nesta quinta-feira (29). Ele disse que os condados de Lee e Charlotte, que abrigam mais de 900.000 pessoas, estão “basicamente incomunicáveis”.

Nesta manhã, equipes de resgate e moradores da costa do Golfo da Flórida procuravam pessoas desaparecidas, após o furacão Ian causar fortes ventos, chuvas torrenciais, grandes ondas e cortes de energia. Árvores, detritos e linhas de energia ficaram sobre estradas.

Uma das tempestades mais poderosas a atingir a área continental dos EUA nos últimos anos, Ian inundou comunidades antes de atravessar a península até a costa atlântica do país. As empresas de energia locais disseram que mais de 2,5 milhões de residências e empresas na Flórida continuam sem energia.

O furacão Ian – que já enfraqueceu e se transformou em tempestade tropical – tocou terra na ilha de Cayo Costa na tarde de quarta-feira (28) como um furacão de categoria 4, com ventos máximos sustentados de 150 milhas por hora (241 km/h).

“Dano histórico”, diz DeSantis

O furacão rapidamente transformou a costa sudoeste da Flórida, pontilhada de praias arenosas, cidades costeiras e parques de trailers, em uma zona de desastre. A água do mar foi varrida para as casas à beira-mar.

“Os impactos desta tempestade são históricos e o dano que foi causado foi histórico”, disse DeSantis durante uma entrevista coletiva. “Nós nunca vimos um evento de inundação como este. Nunca vimos tempestades desta magnitude.” O governador disse ainda que 28 helicópteros realizam resgates na água nesta quinta-feira.

Serviços de telefonia cortados

Ele afirmou também que a ponte para a Ilha Sanibel, na costa do Golfo, foi severamente danificada e ficou intransitável. Dois hospitais da área foram evacuados, com os pacientes transferidos para um terreno mais alto.

A busca por parentes e amigos tornou-se mais difícil ao longo da quinta-feira porque os serviços de telefonia celular são frequentemente cortados na região.

“Muitas árvores caídas, muitas inundações por toda parte. Estamos tentando encontrar minha filha”, disse Terri Byrd enquanto estava sentada em um veículo em um estacionamento do Walmart tentando obter serviço de celular depois de passar a noite em uma escola primária em Venice.

O presidente Joe Biden falou com DeSantis na quinta-feira, dizendo que seu governo está comprometido em continuar com a coordenação estreita e que a diretora da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, Deanne Criswell, estará na Flórida na sexta-feira.

Biden também aprovou uma declaração de desastre, disponibilizando recursos federais para os municípios afetados pela tempestade.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Bom Dia Caiçara