Terça-feira, 23 de julho de 2024

Terça-feira, 23 de julho de 2024

Voltar Fortuna das 25 pessoas mais ricas do mundo é maior que o PIB do Brasil

Em 2022, os 2.640 bilionários do mundo perderam dinheiro, mas não deixaram de concentrar em poucas mãos boa parte da riqueza global. Segundo o ranking anual das pessoas mais ricas do mundo, divulgado pela revista americana Forbes, os 25 maiores bilionários do mundo concentram nada menos que US$ 2,1 trilhões, o equivalente a R$ 10,7 trilhões.

Esse montante é maior do que todos os bens e serviços gerados pelo Brasil no ano passado. O Produto Interno Bruto (PIB) do País no ano passado foi apurado em R$ 9,9 trilhões pelo IBGE.

Confira a lista dos 25 mais ricos:

  • Bernard Arnault (França)
  • Elon Musk (EUA)
  • Jeff Bezzos (EUA)
  • Larry Ellison (EUA)
  • Warren Buffet (EUA)
  • Bill Gates (EUA)
  • Michael Bloomberg (EUA)
  • Carlos Slim Helu (México)
  • Mukesh Ambani (Índia)
  • Steve Ballmer (EUA)
  • Françoise Betterncourt (França)
  • Larry Page (EUA)
  • Amancio Ortega (Espanha)
  • Sergey Brin (EUA)
  • Zhong Shanshan (China)
  • Marc Zuckerberg (EUA)
  • Charles Koch (EUA)
  • Julia Koch (EUA)
  • Jim Walton (EUA)
  • Rob Walton (EUA)
  • Alice Walton (EUA)
  • David Thomson (Canadá)
  • Michael Dell (EUA)
  • Gautam Adani (Índia)
  • Phil Knight (EUA)

O homem e a mulher mais ricos do mundo são da França. Bernard Arnault, dono do império de grifes de luxo LVMH, dono da Louis Vuitton e da Sephora, entre outras marcas, lidera o ranking com uma fortuna de US$ 211 bilhões. Na 11ª posição, Françoise Bettencourt Meyers, herdeira da L’Oréal, tem um patrimônio de nada menos que US$ 80,5 bilhões. Em um ano, ela ganhou US$ 5 bilhões.

Mas a maior concentração de bilionários está nas duas maiores economias do mundo. Os Estados Unidos, que tem o maior PIB do planeta, abriga 735 afortunados na lista da Forbes. Juntos, eles somam US$ 4,5 trilhões. É quase um quinto do PIB americano.

Entre os americanos, destacam-se os barões do mundo da tecnologia, como Elon Musk (fundador da Tesla e dono do Twitter, que nasceu na África do Sul), Jeff Bezos (fundador da Amazon), Larry Ellison (da Oracle) e Bill Gates, fundador da Microsoft. O investidor Warren Buffett e o magnata das comunicações e ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg também os destacam entre os dez mais ricos do mundo.

A China, apesar de oficialmente ser governada por um regime comunista, é a segunda maior economia do planeta e também tem o segundo maior contingente de bilionários. São 562 na lista, que juntos acumulam US$ 2 trilhões, pouco mais que o PIB do Brasil em dólares: US$ 1,95 trilhão.

Zhong Shanshan, fundador da Nongfu Spring, um império de água mineral com ações listadas na Bolsa de Hong Kong, é o chinês mais rico, segundo a Forbes. Zhang Yiming, o fundador da gigante de tecnologia ByteDance, dona do TikTok, viu sua fortuna se reduzir de US$ 50 bilhões para US$ 45 bilhões em um ano e caiu da 25ª posição para a 26ª.

Chama a atenção o terceiro lugar no ranking. Embora seja ainda uma economia menor que as de Alemanha, Japão, França e Reino Unido, o rápido crescimento econômico da Índia garantiu ao país a terceira maior concentração de bilionários do globo. São 169 indianos na lista, que têm juntos US$ 675 bilhões.

Mukesh Ambani, dono e principal executivo da Reliance Industries, que atua na área de petroquímica, petróleo e gás, varejo e telecom, é o indiano mais rico, com US$ 83,4 bilhões.

No Brasil, o primeiro lugar é de uma mulher: Vicky Safra, viúva do banqueiro Joseph Safra. Ela superou o empresário Jorge Paulo Lemann e se tornou a pessoa mais rica do país, de acordo com o levantamento da Forbes.

A lista anual da Forbes — que reúne quem tem um patrimônio com mais de US$ 1 bilhão — diminuiu em 2023 de 2.668 para 2.640 nomes, e metade dos bilionários do ranking teve perda de patrimônio. Segundo a revista, somadas, as riquezas encolheram em US$ 500 bilhões.

Elon Musk, dono da Tesla, do Twitter e do SpaceX, ficou “mais pobre”, sendo substituído na posição de homem mais rico do mundo pelo francês Bernard Arnault, do grupo de luxo LVMH, dono da Louis Vuitton. Jeff Bezos, fundador da Amazon, ocupa a terceira posição no ranking global; Larry Ellison, fundador da empresa de softwares Oracle, a quarta; e o megainvestidor Warren Buffet, a quinta.

Ações em queda, startups indo à lona e alta de juros nos países ricos explicam a perda de riqueza no topo da pirâmide, segundo a Forbes.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã