Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Voltar Forças Armadas da Ucrânia aumentam frota aérea após receber peças de reposição

As Forças Armadas ucranianas aumentaram o tamanho de sua frota de aviões após receber peças de reposição e consertar aeronaves danificadas, afirmaram os militares dos Estados Unidos.

A Ucrânia conseguiu manter sua Força Aérea operando quase dois meses após o início da invasão russa e também consertar aeronaves, e, aparentemente, aumentando seu inventário.

Na terça-feira (19), o porta-voz das Forças Armadas dos EUA, John Kirby disse que a Ucrânia havia recebido aeronaves e peças adicionais, mas esclareceu nesta quarta (20) que nenhum avião foi fornecido até agora às forças ucranianas.

Kiev solicita repetidamente aeronaves de combate para ajudar a repelir as forças russas invasoras.

“Eu estava equivocado ao dizer isso, no passado verbal, que eles haviam recebido um avião inteiro. Eu lamento o erro”, disse Kirby.

“Tendo dito isso, os ucranianos receberam – por meio da coordenação e provisão dos EUA – partes sobressalentes suficientes e equipamentos adicionais para que conseguissem colocar em operação mais aviões em sua frota do que eles tinham há duas ou três semanas.”

Os EUA anunciaram planos para transferir helicópteros de fabricação russa à Ucrânia, cuja intenção de uso era para o Afeganistão.

Com mais de 50 dias de guerra, os céus sobre a Ucrânia ainda são contestados em parte devido à frota de aeronaves e defesas aéreas da Ucrânia, incluindo mísseis terra-ar portáteis, disparados pelo ombro, fornecidos pelos EUA e seus aliados.

Isso permitiu que a Ucrânia travasse uma campanha terrestre muito mais eficaz do que se a Rússia tivesse domínio aéreo e pudesse defender suas forças invasoras dos céus.

Novas sanções

Os Estados Unidos anunciaram novas sanções contra oligarcas e entidades russas em decorrência da guerra na Ucrânia, informou o site do Departamento do Tesouro norte-americano.

As novas sanções afetam um banco comercial russo, dezenas de indivíduos russos, incluindo o oligarca Konstantin Malofeyev, além de unidades da empresa de moeda virtual Bitriver, com sede na Rússia.

O novo pacote de medidas é anunciado no dia em que a Rússia disse ter testado seu novo míssil balístico intercontinental Sarmat, uma arma estratégica que o presidente russo, Vladimir Putin, disse que “não terá igual no mundo por muito tempo”, segundo a agência Tass.

De acordo com o Ministério da Defesa, o míssil foi lançado de Plesetsk, no noroeste do país, e atingiu os alvos na península de Kamchatka, no extremo leste russo. O Sarmat é capaz de “penetrar em qualquer sistema de defesa antimísseis existente ou futuro”.

“O novo complexo tem as mais altas características táticas e técnicas e é capaz de superar todos os meios modernos de defesa antimísseis. Não tem análogos no mundo e não terá por muito tempo”, declarou Putin.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

“Podemos estar vivendo os nossos últimos dias”, diz soldado ucraniano
ONU pede encontro com os presidentes de Rússia e Ucrânia
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE