Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Voltar Filhos de Pelé confirmam que a família já liberou a visitação ao Mausoléu do Rei do Futebol

Dois dos sete filhos de Pelé, Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, e Flávia Kurtz Arantes do Nascimento, afirmam que já liberam a visitação do público ao mausoléu do pai. “Em relação à família já está liberado, agora é uma questão administrativa do Memorial”, disseram eles nesta terça-feira (4). O Atleta do Século morreu aos 82 anos, em 29 de dezembro do ano passado.

O mausoléu onde Pelé foi sepultado fica no Memorial Necrópole Ecumênica, o maior cemitério vertical do mundo, que está situado a poucos metros da Vila Belmiro, no bairro Marapé, em Santos, no litoral de São Paulo.

Segundo o Memorial, os trâmites estão sendo traçados para que ocorra em breve a abertura do local, visando o comodismo do público.  Ainda não há informações sobre como as visitas ao mausoléu serão realizadas.

Duas estátuas folheadas a ouro do Rei ficam em frente à porta de acesso ao jazigo, que é dourado e tem placas com imagens do Atleta do Século. Elas retratam momentos marcantes na carreira de Pelé, como o famoso soco no ar em comemoração aos gols.

Edinho disse, ainda, que a família estava respeitando o desejo da irmã Flávia em aguardar um pouco mais para a liberação das visitas do público ao Mausoléu do Atleta do Século. Ela também confirmou ao g1 a liberação. “Já foi liberado, agora é um trâmite do pessoal lá do Memorial”.

Filhos emocionados

Os filhos de Pelé, Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, e Flávia Kurtz Arantes do Nascimento se emocionaram ao acompanhar uma homenagem para o Rei do Futebol durante o Tribuna Esporte, da TV Tribuna, afiliada da Globo, na última segunda-feira (3). Um trecho do programa mostra os irmãos de mãos dadas e muito emocionados acompanhando a transmissão.

Flávia não conteve o choro ao ser questionada sobre as homenagens e disse que ainda é difícil lidar com a perda do pai. “São três meses. Saudade, tem muita saudade”.

“É sempre muito gratificante. As homenagens são muito carinhosas, então é bom. Acolhe nosso coração e a gente vê o quão gigante esse homem foi. Isso é superimportante para a humanidade, para o mundo”, disse Flávia.

Edinho afirmou que acompanhar homenagens ao pai, por mais que seja um momento difícil, é uma mistura de sentimentos. “De alegria, gratidão, saudades, de tristeza. Não tem outra forma, e a gente vai administrando isso e usando uma coisa para compensar a outra”.

Segundo ele, as homenagens ajudam a família a superar e a confortar. “Com todo esse amor, todo esse carinho, essa luz que a gente recebe em nome dele, que isso de alguma forma ajuda a confortar e agora só um dia após o outro. Nossa missão e desejo é de perpetuar o legado dele e honrar e assumir o dever de filho com muita gratidão acima de tudo”.

“Cada momento que passa a gente vai tendo mais a possibilidade de desfrutar das homenagens em vez de sofrer. É um processo diário de transformação e, graças a Deus, a cada dia a gente está conseguindo curtir mais, lembrar com carinho e superar um pouco a tristeza”, disse Edinho.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã