Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Voltar Fifa alerta: intervenção na CBF pode deixar Brasil fora de torneios internacionais

A Fifa e a Conmebol enviaram um comunicado conjunto expressando preocupação com a intervenção judicial na CBF. As entidades informam que “a interferência indevida de terceiros contraria seus Estatutos e, se a intervenção judicial for mantida, não terão outra alternativa senão aplicar sanções”.

Isto significa que o Brasil ficará impedido de sediar qualquer evento internacional, as seleções não poderão participar de disputas e os clubes brasileiros não jogarão nenhum campeonato fora do país.

Na prática, a intervenção fulminaria a candidatura para a Copa do Mundo Feminina em 2027, gera um grande prejuízo para a imagem do Brasil no mundo e compromete toda cadeia produtiva do futebol brasileiro, ameaçando milhares empregos no País.

É que o futebol brasileiro movimenta atualmente quase 1% do PIB, com boa parte das receitas vindo de fontes internacionais como partidas da seleção e jogos de clubes em competições como o Mundial, a Libertadores e a Sul Americana, o que não seria mais possível com esta punição da Fifa.

Em 2022, a Fifa suspendeu a Índia justamente porque uma decisão judicial determinou uma intervenção semelhante a do Brasil na federação de futebol do país. Esta suspensão ameaçou a realização da Copa do Mundo Feminina lá, que só foi realizada na Índia porque a Suprema Corte do país acabou com a intervenção e a Fifa, então, revogou a suspensão.

Outro país que foi suspenso por causa de uma intervenção judicial na federação de futebol foi a Nigéria, em 2014. Veja a suspensão da Índia no site da Fifa.

Em tempo, a Índia não foi o único país dos Brics que já sofreu punição da Fifa. A África do Sul foi suspensa em 1961 por causa do regime racista do apartheid. E em 2022, a Fifa baniu a Rússia pela guerra contra a Ucrânia.

O presidente interino da CBF, José Perdiz de Jesus, enviou a seguinte nota:

“É com satisfação e respeito que recebemos a carta da Fifa. Vejo como um sinal positivo termos a entidade acompanhando o processo eleitoral na CBF. Conforme determinação da Justiça brasileira, confirmada pelo STJ, vou convocar em 30 dias as eleições, dentro da transparência e da lisura exigidas”.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Embalos & Loterias