Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Voltar Ex-piloto brasileiro, Emerson Fittipaldi perde disputa pelo Senado na Itália

O bicampeão de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi e o ex-ministro da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) no governo FHC e ex-embaixador do Brasil em Roma, Andrea Matarazzo, não foram eleitos para a vaga da América do Sul no Senado da Itália. A cadeira ficou com o argentino Mario Alejandro Borghese, que é deputado na atual legislatura.

O político do país vizinho obteve mais de 58,2 mil votos. Fittipaldi, que concorreu pela coligação de direita, recebeu 31,3 mil votos. E Matarazzo, do Partido Democrático, terminou o pleito com 27,2 mil.

Já a disputa pelas duas vagas na Câmara, a comunidade italiana na região elegeu Fabio Porta, da mesma chapa de Matarazzo, que obteve 22,4 mil votos. A outra cadeira também ficou com a Argentina, representada por Franco Tirelli, com 44,4 mil votos.

O Brasil, onde estão registrados 418 mil eleitores italianos, faz parte da seção da América do Sul, com outros 12 países. As vagas reservadas aos parlamentares eleitos na região caíram pela metade, de 6 para 3. Os eleitores desses países puderam escolher somente dois deputados e um senador.

Por ter o maior número de eleitores italianos, a Argentina, com 756 mil, reúne mais força para colocar representantes no Parlamento. Historicamente, o senador mais votado na seção sul-americana sempre foi ítalo-argentino.

Georgia Meloni

O partido de extrema-direita Fratelli d’Italia (Irmãos da Itália) de Giorgia Meloni recebeu 26% dos votos nas eleições de domingo, o que significa que a coalizão da direita terá maioria folgada no Parlamento, de acordo com os resultados finais publicados nesta terça-feira (27).

A coalizão inclui a Liga (direita) de Matteo Salvini e o Força Itália (conservador) do magnata Silvio Berlusconi. Somados, os três partidos terão 237 cadeiras na Câmara dos Deputados de um total de 400.

A coalizão também terá maioria no Senado, com 115 cadeiras de 200.

O partido anti-imigração Liga, de Salvini, recebeu 8,8% dos votos, enquanto o conservador Força Itália, de Berlusconi, conquistou 8,1% dos votos, de acordo com o ministério do Interior.

A coalizão de direita também conta com um partido pequeno, que representa menos de 1% dos votos, para um total de 43,8% dos votos no Parlamento.

O Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, recebeu 19% dos votos e se aliou com duas pequenas formações ambientalistas e esquerdistas. A coalizão terá 84 cadeiras na Câmara e 44 no Senado.

Os antissistema Movimento 5 Estrelas recebeu 15,4% dos votos e terá 52 deputados e 28 senadores.

A aliança de centro Ação conquistou 7,8% dos votos e ocupará 21 cadeiras na Câmara e nove no Senado. As vagas restantes serão distribuídas entre partidos menores.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde