Quinta-feira, 19 de maio de 2022

Quinta-feira, 19 de maio de 2022

Voltar Eurovision começa em meio a acusações de assédio sexual

Voluntárias do Eurovision Song Contest, que começou, em Turim (Itália), nesta terça-feira (10), relataram ter sido assediadas por artistas e bailarinos durante a festa de abertura do festival musical na noite do último domingo (8), na Reggio di Venaria.

De acordo com o jornal Corriere della Sera, diversas denúncias de assédio, como gestos e comportamentos inadequados, contra delegações que participaram do evento inaugural foram compartilhadas em grupos de mensagens nas redes sociais.

“Se eu não fosse voluntária, teria dado um tapa naqueles dançarinos estrangeiros. Depois de nos encararem por muito tempo, eles se aproximaram de mim e de outras voluntárias e nos tocaram”, diz um dos relatos.

Até o momento, no entanto, nenhuma queixa foi apresentada formalmente às autoridades. O município italiano, por sua vez, negou qualquer forma de violência contra as voluntárias.

Em nota, o coletivo feminista “Non Una di Meno” prestou solidariedade às voluntárias e informou que “isso é assédio no local de trabalho e, como tal, deve ser combatido, concentrando a atenção nas condições de extrema exploração e chantagem que as mulheres experimentam no ambiente coorporativo”.

“Como muitas vezes acontece, as vozes das mulheres que sofrem violência são silenciadas, suas histórias não são acreditadas e suas experiências não são ouvidas”, declarou a ONG, que se uniou às supostas vítimas.

Favorito

A 66ª edição do Eurovision Song Contest começou nesta terça, em Turim, cidade que foi escolhida como sede em função da vitória da banda Maneskin em 2021, com a música “Zitti e Buoni”. Neste ano, a Itália será representada pelos cantores Mahmood & Blanco, com a canção “Brividi”. A grande final ocorre no próximo sábado.

Em um show em Londres com ingressos esgotados, a multidão grita “Mahmood! Mahmood! Mahmood!”.

Foi durante o penúltimo show do cantor italiano, antes de se apresentar no Eurovision, o tradicional festival europeu da canção.

“O melhor desse trabalho – escrever e compor música – é o resultado final. O resultado final é o show porque você recebe a energia das pessoas que ouvem sua música.”

Como todos os cantores, a pandemia forçou Mahmood a adiar sua turnê, o que significa que ele não conseguiu aproveitar o sucesso global que seu hit Soldi teve depois do segundo lugar no Eurovision de 2019.

Tocada mais de 200 milhões de vezes no Spotify (e praticamente o mesmo no YouTube), Soldi mudou a vida do artista, que é filho de um egípcio com uma italiana, e ajudou a formar uma base fiel de fãs.

Depois que o grupo de rock Måneskin venceu pela Itália no ano passado, a cidade de Turim foi escolhida como sede do concurso. A nova participação de Mahmood será um dueto com o cantor Blanco, de 19 anos, com a balada Brividi.

Brividi já aparece como favorita e é uma das músicas mais tocadas no streaming entre os participantes deste ano. Mas foi Blanco quem sugeriu que ela deveria concorrer no Eurovision, em um programa de TV italiano que decide a canção que representará o país.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Astronauta faz sucesso no TikTok com vídeos sobre rotina no espaço
Nave de Star Wars e terno de Elvis Presley estão entre itens de filmes que vão a leilão
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE