Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Segunda-feira, 16 de maio de 2022

Voltar Estudos mostram que a maconha melhora a experiência sexual; entenda

Tanto homens quanto mulheres relatam há muito tempo que a cannabis altera sua experiência sexual. Em um ensaio publicado em 1971, o astrônomo Carl Sagan, um usuário de maconha de longa data, escreveu que a maconha “aumenta o prazer do sexo” e “dá uma sensibilidade requintada”.

Há pouquíssimas pesquisas sobre cannabis e libido, no entanto, em parte porque o estudo da maconha tem sido notoriamente difícil de financiar e continua sendo uma droga ilegal de acordo com as leis federais nos Estados Unidos. A maior parte dos levantamentos que existe se baseia em dados de questionários, que são fortemente direcionados a pessoas que já usam cannabis e não são representativas da população em geral, dificultando a obtenção de conclusões firmes. Além disso, as pesquisas não fornecem informações confiáveis e precisas sobre dosagem, método de entrega ou tempo.

Mas com base nas evidências limitadas, a droga parece melhorar a experiência sexual entre muitas mulheres que já a usam.

“Já tive vários pacientes que vieram até mim e disseram: ‘Tenho baixa libido. Pode me ajudar? E, a propósito, se eu usar maconha, posso atingir o orgasmo, sem problemas’”, disse a Becky Lynn, especialista em medicina sexual e menopausa e fundadora da Evora Women’s Health em St. Louis. “Eles também me dizem que a baixa libido melhora com a maconha.”

Lynn, que também leciona na Escola de Medicina da Universidade de Saint Louis, é a principal autora de um estudo publicado em 2019, envolvendo 373 mulheres, que pesquisou sobre cannabis em uma clínica de obstetrícia e ginecologia no Missouri. Dessas, 34% relataram ter usado maconha antes da atividade sexual e a maioria deles disse que resultou em aumento do desejo sexual, melhora do orgasmo e diminuição da dor.

Estudos também descobriram que algumas mulheres usam cannabis para ajudar a controlar os sintomas da menopausa, como ondas de calor, suores noturnos, insônia e alterações vaginais, como secura, que podem contribuir para diminuir a libido quando não tratadas.

Além disso, uma pesquisa online com mais de 200 mulheres e homens que usam cannabis descobriu que quase 60% disseram que a substância aumentou seu desejo por sexo; quase 74% relataram aumento da satisfação sexual. Mas o estudo, conduzido por pesquisadores no Canadá e publicado no The Journal of Sexual Medicine, também disse que 16% relataram que o sexo era melhor em alguns aspectos e pior em outros, e um pouco menos de 5% disseram que era pior.

A pesquisa sobre o uso de cannabis e a função sexual entre os homens também é escassa e pode ser contraditória. De acordo com a Sociedade Internacional de Medicina Sexual, alguns homens relatam que seu desempenho sexual melhora quando usam maconha, enquanto outros podem apresentar problemas como menos motivação para o sexo, disfunção erétil, dificuldade para atingir o orgasmo ou ejaculação precoce. O uso de cannabis também foi associado a reduções na contagem, concentração, motilidade e viabilidade de espermatozóides.

Peter Grinspoon, médico de cuidados primários do Massachusetts General Hospital Chelsea HealthCare Center e consultor de cannabis medicinal, aconselhou consumir pouco se você é novo nisso – em alguns casos, apenas 1 miligrama de THC, o principal ingrediente psicoativo da erva – antes de subir lentamente. “Em doses baixas, a cannabis ajuda a libido, mas em doses altas, muitas vezes não é tão eficaz.”

Libido é complicada

Existem vários fatores que podem afetar o desejo sexual e a função sexual de alguém, alguns dos quais podem ser abordados por meio de uma consulta com um médico ou um profissional de saúde mental.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Nova variante do coronavírus, ômicron XE pode ser a mais contagiosa já vista
Mais da metade dos internados com covid tem pior qualidade de vida meses após alta
Deixe seu comentário

No Ar: SHOW DA TARDE