Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Voltar Estudo da NASA avalia condição física dos astronautas imediatamente após o pouso

O Programa de Pesquisa Humana (HRP) da Nasa tem realizado uma série de testes para avaliar a condição física dos astronautas assim que eles pousarem na Lua ou em outro planeta, como Marte. O objetivo é saber quais atividades eles poderão realizar imediatamente após o pouso à medida que o corpo se reajusta à gravidade.

Quando os astronautas retornam do espaço e pousam na Terra, seus corpos precisam se reacostumar com a ação da gravidade neles. São bem comuns os relatos de tontura, enjoo e desiquilíbrio após o pouso, e esses sintomas podem persistir por vários dias.

O HRP está avaliando quanto tempo após o pouso os astronautas estarão prontos para realizar as tarefas importantes da missão. Para descobrir isso, os laboratórios de Fisiologia, Desempenho, Proteção e Operações Humanas e de Neurociências, ambos da Nasa, criaram um ambiente simulado para testar tais limites.

Uma pista com obstáculos foi projetada para que os astronautas das missões Crew-2 e Crew-3 navegassem por ela. Antes de partirem para a Estação Espacial Internacional (ISS), eles realizaram dois testes: sair de uma cápsula de pouso simulada e uma caminhada com trajes espaciais simulando o pouso em um planeta.

Conduzindo simulações

Para a primeira simulação, os pesquisadores passaram meses elaborando uma maquete de tubos metálicos leves para formar os limites de uma cápsula real. Tal maquete será montada próxima ao local de pouso da Crew Dragon, na Costa da Florida, onde cada astronauta entrará nelas para iniciar a atividade.

Uma vez na maquete, o astronauta deve se levantar e desenrolar uma escada no topo da cápsula. Em seguida, ele pega um pacote de sobrevivência, sobe na escada e, por uma escotilha, entrega o pacote a um pesquisador próximo. Finalmente ele desce a escada e caminha por pouco mais de sete metros.

Jason Norcross, cientista do Johnson Space Center da Nasa, explica que o teste serve para avaliar as mudanças de postura – deitar, levantar, descer a escada – dos astronautas imediatamente após o pouso. Ele acrescente que essas atividades nunca foram avaliadas antes de um lançamento.

A segunda atividade avalia a condição física do astronauta ao pousar em outro planeta e será feita assim que os astronautas retornarem à Terra. Nessa etapa, o astronauta tentará vestir o traje espacial sem qualquer ajuda. Então, o traje será conectado ao Active Response Gravity Offload System (ARGOS).

O ARGOS é uma máquina que levanta e pressuriza o traje espacial para simular a gravidade em outros corpos celestes. Nessa atividade, o astronauta experimentará a gravidade de Marte, cerca de 37,5% a da Terra. Após se ajustar, ele subirá uma escada, passará por uma abertura e descerá a mesma escada.

Na base da escada, o astronauta deverá conectar linhas de alimentação a uma maquete de um módulo de suporte de vida. “Queremos que os astronautas simulem o que poderia acontecer em uma missão fora do mundo”, explica Norcross.

Por fim o astronauta passará por outro ponto crítico: tentar mover várias vezes um objeto com pouco mais de 13 kg de uma extremidade da pista de obstáculos até a outra. São tarefas simples, mas em futuras viagens a outro planeta, o corpo pode não conseguir executá-las imediatamente.

Na caminhada simulada em Marte, os astronautas usarão sensores para registras seus sinais vitais e os gastos de energia durante a atividade. Os pesquisadores também gravarão todas as tarefas para comparar seu desempenho antes e após o pouso.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Amazon oferece 10 e-books grátis para celebrar o Dia Mundial do Livro
Frio pode aumentar risco de AVC; saiba os sintomas e como se prevenir
Deixe seu comentário

No Ar: Caiçara Confidencial