Sexta-feira, 20 de maio de 2022

Sexta-feira, 20 de maio de 2022

Voltar Em meio a discussão nos Estados Unidos, diretor da Organização Mundial da Saúde defende direito ao aborto

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, fez um apelo nesta quarta-feira (04) a favor do direito ao aborto, coincidindo com a possibilidade de que a Suprema Corte dos Estados Unidos o anule.

“Restringir o acesso ao aborto não reduz o número de procedimentos, apenas leva as mulheres e meninas a realizar procedimentos inseguros”, disse Tedros Adhanom no Twitter, sem mencionar diretamente os Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, o site de notícias Politico revelou nesta segunda-feira um documento interno que aponta que a maioria dos juízes da Suprema Corte está disposta a enterrar a decisão Roe vs. Wade de 1973, que protege o direito das mulheres americanas de interromper sua gravidez.

“O acesso ao aborto seguro salva vidas”, enfatizou o chefe da OMS. A Suprema Corte confirmou a autenticidade do texto — um projeto de sentença datado de fevereiro — mas destacou que não representa uma decisão “definitiva”.

Tedros afirmou na mesma rede social que “as mulheres devem ter sempre o direito à escolha quando se trata de seu corpo e sua saúde”. Segundo a OMS, os abortos inseguros causam cerca de 39.000 mortes por ano em todo o mundo e fazem com que milhões de mulheres sejam hospitalizadas por complicações.

A maioria dessas mortes se concentram nos países de baixa renda — mais de 60% na África e 30% na Ásia — e entre as pessoas mais vulneráveis.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Percentual de famílias gaúchas endividadas alcança 96,5%, aponta a Fecomércio
Comissão da Câmara dos Deputados aprova convite para ouvir o ministro da Economia sobre a redução de IPI
Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã