Sexta-feira, 20 de maio de 2022

Sexta-feira, 20 de maio de 2022

Voltar Eduardo Leite fala em respeito à candidatura de Doria e diz que não dividirá o PSDB

O ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) disse, nesta quinta-feira (21), que a disposição de João Doria de levar a sua pré-candidatura à Presidência até o pleito “tem que ser respeitada”. Em entrevista ao Jornal Jangadeiro, do Ceará, Leite também afirmou que “não está aqui para dividir” o PSDB.

Questionado se será candidato a algum cargo nas eleições, ele disse que “não está se apresentando nessa condição”. “A gente tem um pré-candidato aprovado nas prévias que tem disposição de ir até o final com essa sua candidatura, e isso tem que ser respeitado. Eu não estou aqui para dividir o PSDB. Eu quero um PSDB unido. O Brasil precisa do PSDB”, afirmou Leite.

O ex-governador gaúcho também disse que, caso quisesse disputar a Presidência, poderia ter migrado para outro partido – o tucano negociou ingressar no PSD, de Gilberto Kassab, para concorrer ao Planalto. “Se eu quisesse ser candidato a presidente simplesmente… me foram oferecidos caminhos para isso. Houve convites de outros partidos. E eu digo que não quero dividir, eu quero somar.”

Ele também disse que “não procura posição de vice e nem uma posição na chapa” de Doria. Leite ainda citou uma conversa recente com o ex-governador de São Paulo e disse ter levado uma mensagem de conciliação.

“Eu confio sim numa posição de união, conciliação. Conversei recentemente com o Doria, estive com ele e levei essa mensagem. Não espere de mim trabalhar por divisão. Eu vou trabalhar pela união do partido. Se eu quero um país que esteja unido e reconciliado, eu preciso trabalhar isso desde já dentro do PSDB.”

“Há divergências, rusgas aqui e ali, mas há muita disposição de conciliação, de convergência e eu tenho convicção de que o PSDB estará unido para o processo eleitoral”, acrescentou o tucano.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Câmara dos Deputados pode votar na próxima terça-feira medida provisória que cria benefício extra para Auxílio Brasil
“Acredito que a privatização da Eletrobras ocorrerá ainda neste ano”, afirmou o ministro Paulo Guedes
Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã