Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Voltar Detentos de presídio na Serra Gaúcha concluem os cursos de ensino fundamental e médio

A direção do Presídio Estadual de São Francisco de Paula (PESFP), na Serra Gaúcha, realizou nesta semana uma cerimônia de formatura para 12 apenados que concluíram os estudos escolares. O grupo é formado por cinco diplomados no ensino fundamental e sete no ensino médio, todos com aulas ministradas pelo Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos (Neeja), antigo “supletivo”.

Com direito a toga e “canudo”, o evento foi prestigiado por familiares dos formandos, professores e servidores da instituição, além de autoridades da região. De acordo com a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), a unidade carcerária tem atualmente 88 detentos matriculados e estudando de forma regular. O contingente equivale a 73% da massa carcerária local.

Mais que um direito humano, a possibilidade de iniciar ou retomar os estudos é considerada um elemento decisivo na ressocialização dos indivíduos privados de liberdade, além de contribuir para a autoestima e reduzir as chances de reincidência criminal e violência dentro das instituições do setor.

Nos últimos anos têm crescido as manifestações de interesse dos apenados pela aprendizagem, inclusive no âmbito profissionalizante. A expectativa para este ano é de que essa tendência se mantenha ou mesmo intensifique.

Projeção de filme para detentas

Na terça-feira (4), cerca de 50 detentas da Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba (PEFG), na Região Metropolitana de Porto Alegre, assistiram ao documentário “Olha pra Elas”, que trata do aprisionamento feminino, na tarde desta terça-feira (4). A iniciativa é da Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS) e dos realizadores da produção, Tatiana Sager e Renato Dornelles.

O filme aborda as trajetórias das apenadas Adelaide, Tatiane, Catia, Naiane e Roselaine, representativas de um universo de 43 mil pessoas que vivem em privação de liberdade no Rio Grande do Sul e das quauis 2,5 mil são mulheres.

Estatísticas colocam o Brasil no terceiro lugar no ranking mundial de países com maior população carcerária feminina. Boa parte delas são mães com mais de um filho e a maioria cumpre pena por tráfico de drogas. Algumas delas vão parar atrás das grades por causa do envolvimento de seus parceiros com o crime, ao passo que outras são usuárias de drogas.

A previsão é de que, assim como já ocorreu no Presídio Feminino Madre Pelletier e na unidade de Guaíba, outras sessões do documentário sejam realizadas em estabelecimentos prisionais gaúchos. Na sessão de estreia, dia 28 de março, a cinemateca da Casa de Cultura Mario Quintana (Centro Histórico de Porto Alegre) ficou lotada e motivou a abertura de uma sessão-extra. Para quem ainda não viu, a instituição colocará em cartaz uma nova exibição, na noite de 11 de maio.

(Marcello Campos)

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Madrugada