Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Voltar Deputado usa cota parlamentar para comprar carro de R$ 100 mil de presente para irmã

O deputado federal Vicentinho Junior, presidente do PP de Tocantins, utilizou dinheiro público para comprar um carro avaliado em R$ 100 mil e dar o veículo de presente para a irmã.

A compra do automóvel foi feita com o uso de cota parlamentar. Por regra, a verba bancada pela Câmara dos Deputados serve para custear despesas relativas ao mandato dos parlamentares, como aluguel de escritório, veículo, passagens aéreas, alimentação e combustível, por exemplo.

No caso do presidente regional do PP, o político destinou o dinheiro para alugar o carro e, em seguida, usou uma cláusula do contrato feito com a locadora para adquirir o mesmo veículo. Esta manobra contraria regras internas da própria Casa.

Devido à compra do automóvel com dinheiro público, o Ministério Público Federal (MPF) investiga Vicentinho Junior por improbidade administrativa.

Vicentinho Júnior é deputado federal desde 2014. É filho do ex-senador ex-deputado federal Vicentinho Alves e aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O caso chegou ao órgão sob sigilo em maio do ano passado, após determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli. O jornal Estadão teve acesso com exclusividade a detalhes da investigação. De acordo com documentos do Detran de Tocantins, o automóvel, um Toyota Corolla branco modelo 2018, passou de propriedade da locadora diretamente para o nome da irmã do deputado, a médica Mariana Alice.

A transferência foi feita em 29 de julho do ano passado, véspera do aniversário da irmã de Vicentinho e somente após o parlamentar ter sido oficiado da investigação do MPF.

Quem é Mariana

Mariana é dona de uma clínica em Palmas, capital de Tocantins. Vídeos publicados nas redes sociais e analisados pela reportagem mostram o Corolla em frente ao estabelecimento. Além disso, a Polícia Federal tem imagens do carro estacionado em uma UPA de Porto Nacional quando Mariana estava de plantão na unidade, bem como da médica entrando em um Corolla branco em Palmas.

O deputado pagou por 21 meses R$ 6 mil pelo aluguel do veículo, entre janeiro de 2018 e setembro de 2019. Num total de R$ 126 mil. O Ministério Público já sabe que dez das mensalidades foram bancadas com dinheiro da cota parlamentar, o que dá o total de R$ 60 mil. Os investigadores suspeitam que as outras 11 prestações também foram bancadas com dinheiro público.

Este aluguel, conforme a investigação, foi feito com a Vip Service, do empresário Carlos Alberto Sá. Conhecido como Carlinhos, o executivo também é dono das empresas Voetur e VTC Log, esta última indiciada pela CPI da Covid-19 por ato lesivo à administração pública.

A empresa Vip Service negou ter conhecimento do uso de cota parlamentar por Vicentinho Junior para alugar e comprar o carro. Ao MPF, a empresa confirmou ter sido procurada pelo deputado para adquirir o Corolla.

Cota parlamentar

O 10º artigo do Ato da Mesa 43/2009 da Câmara, que instituiu a cota parlamentar, proíbe que os contratos de locação de automóveis contenham dispositivos que permitam a aquisição do bem, assim como foi feito por Vicentinho Júnior. O MPF entende que as informações indicam possível utilização irregular da cota parlamentar.

Vicentinho disse que sempre se pautou pela transparência. “Se houve equívoco em qualquer interpretação, será corrigida”, alegou.

Ao Ministério Público Federal, a defesa do parlamentar disse não ser verdade que o veículo foi usado pela irmã do deputado. A alegação contraria as imagens publicadas nas redes sociais pela clínica de Mariana Alice, como também as que estão em posse da Polícia Federal.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde