Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Voltar Cota do PIS/Pasep: prazo para sacar dinheiro “esquecido” termina neste sábado

Termina neste sábado (5) o prazo para 10,5 milhões de trabalhadores sacarem R$ 25 bilhões considerados “esquecidos” em cotas do PIS/Pasep entre os anos de 1971 e 1988.

O saque começou a ser liberado em 7 de junho. Segundo a Caixa Econômica Federal, apenas R$ 745 milhões do total foram resgatados até 30 de junho, totalizando 513 mil pagamentos feitos pelo banco.

Se o saque não for realizado no período, o dinheiro irá para o Tesouro. Há, no entanto, prazo de até cinco anos para requerer o valor de volta.

A cota é diferente do abono salarial do PIS/Pasep, pago mensalmente aos trabalhadores que se enquadram nas regras. O valor médio das cotas é de R$ 2,3 mil, mas o saldo individual de cada um vai depender de quanto tempo a pessoa trabalhou no período e qual era o salário naquele momento.

O saque das cotas pode ser feito totalmente online, pelo aplicativo do FGTS, sem que seja necessário ir até uma agência da Caixa. A consulta para saber se tem direito também é feita no aplicativo. Herdeiros podem sacar os valores, mas têm que apresentar documentos que provem o direito de receber a cota.

Quem pode sacar

O saque está disponível para quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 1988. O trabalhador pode ter atuado na iniciativa privada ou como servidor público e não ter sacado as cotas do PIS/Pasep.

Em caso de o contribuinte ter falecido, ainda é possível retirar o valor. Um herdeiro ou beneficiário conseguirá resgatar a verba com a documentação necessária.

Os trabalhadores formais podem consultar e solicitar o saque de valores relativos ao PIS por meio do aplicativo do FGTS, da Caixa Econômica Federal, ou se dirigir até uma agência do banco.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep devem consultar o saldo e sacar junto ao Banco do Brasil.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde