Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Voltar Correntes internas do PT reclamam de falta de espaço no governo Lula e pedem ministros de esquerda

Correntes internas do Partido dos Trabalhadores (PT) reclamam que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva carece de “ministros de esquerda”, inclusive de petistas.

Uma tendência minoritária do PT deseja que o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, e o da Comunicação, Juscelino Filho, sejam demitidos. Na visão da corrente Articulação de Esquerda, Lula deveria substituir Múcio por “uma pessoa disposta a submeter as Forças Armadas a controle civil”.

O PT comanda atualmente dez dos 38 ministérios – ou secretarias com status equivalente – do governo Lula. Esse número pode aumentar com a possível reforma ministerial prevista para o início do ano que vem. Existe a possibilidade de a presidente da sigla, a deputada Gleisi Hoffmann, assumir o Ministério da Justiça. Ela disputa o cargo, porém, com nomes mais cotados, como os do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, o do advogado Marco Aurélio Carvalho, do grupo Prerrogativas, e o ministro da Advocacia Geral da União (AGU), o também petista Jorge Messias.

A avaliação de que os diretórios estaduais não foram devidamente consultados pelo governo Lula na definição dos cargos federais nos Estados, como, por exemplo, na distribuição de superintendências da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) é constantemente debatida no partido. Tendências minoritárias do PT alegam ter sido excluídas tanto da composição governamental quanto das nomeações para cargos de destaque no Congresso.

Dirigente nacional do PT e líder da Articulação de Esquerda, Valter Pomar defende que a Esplanada dos Ministérios “precisa ter mais e melhores ministros de esquerda, inclusive, mas não somente, petistas”.

“Nossa ‘reivindicação’, por assim dizer, é demitir o ministro da Defesa, colocando em seu lugar uma pessoa disposta a submeter as Forças Armadas a controle civil; e demitir o ministro das Comunicações, colocando em seu lugar uma pessoa disposta a cumprir a Constituição, que proíbe que haja monopólio na comunicação”, disse Pomar.

Ele afirma ainda que o governo não deveria ter nenhum ministro que tenha apoiado o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), como o caso do deputado André Fufuca (PP-MA), que pediu votos para a reeleição de Bolsonaro em 2022, e ainda assim substituiu, em setembro passado, Ana Moser no comando do Ministério do Esporte.

A bancada do PT no Congresso também exige a saída de Juscelino Filho, ministro das Comunicações do governo. Recentemente foi revelado que o ministro utilizou emendas parlamentares para pavimentar sua fazenda no Maranhão e fez uso de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para participar de um leilão de cavalos. Neste momento, o ministro figura na lista daqueles que podem deixar a Esplanada dos Ministérios no início do próximo ano.

Na avaliação do dirigente nacional do PT Cícero Balestro, Lula deveria dar mais atenção às lideranças locais da sigla durante o processo de distribuição de cargos. “Tivemos pouco diálogo com as direções estaduais do PT para a composição dos cargos nos Estados. Não que o cargo deveria ser do PT, mas o partido deveria ser ouvido nessas composições”, afirmou ele, que também é coordenador da tendência petista Avante.

 

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Embalos & Loterias