Sexta-feira, 21 de junho de 2024

Sexta-feira, 21 de junho de 2024

Voltar Conselho de Segurança da ONU: Estados Unidos vetam cessar-fogo imediato em Gaza

Os Estados Unidos vetaram, nesta sexta-feira (8), durante uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU), uma resolução que pedia por um cessar-fogo imediato no conflito entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza. Os EUA é um dos cinco membros permanentes do grupo e tem o poder de veto.

Treze membros do Conselho de Segurança, incluindo o Brasil, votaram a favor do texto apresentado pelos Emirados Árabes Unidos. A Grã-Bretanha se absteve.

“Embora os Estados Unidos apoiem os apelos a uma paz duradoura (…), não apoiamos os apelos a um cessar-fogo imediato”, disse Robert Wood, vice-embaixador dos EUA na ONU, antes da votação. “Isto apenas plantaria as sementes para a próxima guerra, porque o Hamas não deseja ver uma paz duradoura.”

Na última quarta-feira (6), o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, invocou pela primeira vez o artigo 99 da Carta da ONU para provocar a reunião extraordinária do Conselho desta sexta. O objetivo de Guterres era tentar forçar uma ação para evitar uma catástrofe humanitária na Faixa de Gaza.

Também nesta sexta, a ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) se manifestou sobre a falta de ação da ONU quanto ao conflito.

“A inação do Conselho de Segurança das Nações Unidas e os vetos dos seus Estados-membros, especialmente os Estados Unidos, os tornam cúmplices do massacre em curso”, afirmou a organização.

Artigo 99
O artigo 99 é é uma das ferramentas diplomáticas de maior poder simbólico à disposição do secretário-geral da ONU e não era invocado há décadas, segundo o porta-voz de Guterres, Stéphane Dujarric.

“O Secretário-Geral poderá levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que, na sua opinião, possa ameaçar a manutenção da paz e da segurança internacionais”, diz o texto.

Guterres invocou o artigo em uma carta enviada ao presidente do Conselho de Segurança. No texto, ele diz que os bombardeios do Exército de Israel estão provocando o “iminente colapso total da ordem pública” na Faixa de Gaza.

“Em meio aos constantes bombardeios das forças armadas israelenses e sem abrigo e o mínimo para sobreviver, prevejo o iminente colapso total da ordem pública devido às condições desesperadoras, que até mesmo impossibilitariam uma assistência humanitária limitada”, escreveu.

O secretário-geral pede que o Conselho de Segurança demande um cessar-fogo humanitário para impedir a escalada da crise. Em meados de novembro, após rejeitar quatro resoluções, o Conselho de Segurança aprovou um texto pedindo “pausas e corredores humanitários” na Faixa de Gaza.

Conselho de Segurança
O Conselho de Segurança é o organismo da ONU que tem a finalidade de mediar e resolver conflitos internacionais. Sua primeira sessão ocorreu em 17 de janeiro de 1946, em Londres, Inglaterra.

Atualmente, o Conselho é formado por um total de 15 membros, cinco dos quais são permanentes, enquanto os outros dez não são. Os países permanentes são China, França, Rússia, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, além dos Estados Unidos.

Já os dez membros rotativos atuais são: Albânia, Brasil, Equador, Gabão, Gana, Japão, Malta, Moçambique, Suíça e Emirados Árabes Unidos.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Clube do Ouvinte