Domingo, 23 de junho de 2024

Domingo, 23 de junho de 2024

Voltar Comércio exterior brasileiro fecha 2023 com superávit recorde de quase 100 bilhões de dólares

A balança comercial brasileira encerrou 2023 com um saldo positivo de US$ 98,8 bilhões, o maior valor desde o início da série histórica, em 1989. O superávit é resultado de US$ 339,7 bilhões em exportações e US$ 240,8 bilhões em importações.

Os números foram anunciados, nesta sexta-feira (5), pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).
“O saldo comercial é 60 vezes maior do que o último resultado e isso ajuda muito a economia, nas reservas internacionais”, disse o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Geraldo Alckmin.

As exportações aumentaram apenas 1,7% em relação ao ano anterior. Já as importações tiveram uma queda de 11,7%, o que ajudou, em parte, que a balança fechasse no azul.

Segundo Alckmin, a queda nas importações teve como causa a redução dos preços dos produtos comprados no Brasil no exterior. São exemplos fertilizantes e óleo.

Com a queda das importações, a corrente de comércio (soma das vendas e das compras no exterior), de US$ 580,5 bilhões, caiu 4,3%. Mesmo assim, foi o segundo maior valor da história. Em 2022 o total foi de US$ 606,7 bilhões.

Mas o saldo de quase US$ 100 bilhões não deve se repetir este ano. O governo prevê uma queda de 4,5%, levando o número para US$ 94,4 bilhões em 2024.

O Brasil vendeu 14,4% a mais de soja e 11,8% de milho. Porém, teve receitas menores na exportação de café (14,1%), petróleo (13,5%) e carne bovina (19,6%), devido à queda nos preços das commodities.

As vendas de soja foram as maiores da história, o que contribuiu para que o Brasil exportasse, pela primeira vez, mais de US$ 100 bilhões para a China. Também houve recorde de exportações para Indonésia, México, Vietnã, Argélia, Uruguai e Paraguai.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde