Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Quinta-feira, 30 de maio de 2024

Voltar Começam neste mês as obras de restauro do prédio histórico da Secretaria Estadual da Fazenda, no Centro de Porto Alegre

Uma obra aguardada há mais de uma década está prestes a ser iniciada em um dos principais prédios públicos do Centro Histórico de Porto Alegre. Trata-se da restauração das fachadas e do pórtico entre os dois prédios da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), em uma das quadras entre as avenidas Siqueira Campos e Mauá. O imóvel foi tombado desde 1987.

A equipe está mobilizada e as estruturas para montar dos andaimes já chegaram ao prédio de arquitetônica neoclássica, um dos mais imponentes da capital gaúcha. O projeto de restauração, que será conduzido por uma empresa especializada na conservação de bens histórico-culturais, prevê o resgate da concepção original do imóvel.

Com investimento de R$ 8,3 milhões do governo do Estado, os trabalhos estão a cargo da empresa paulista Estúdio Sarasá Conservação e Restauro. O prazo de execução dos serviços é superior a dois anos e a fiscalização dos trabalhos será realizada pela 1ª Coordenadoria Regional de Obras Públicas (Crop) de Porto Alegre.

A secretária de Obras Públicas, Izabel Matte, ressalta a importância do restauro da sede da Fazenda estadual: “Nosso esforço tem sido para agilizar e entregar obras que estão sendo aguardadas por tantos anos. É o caso da Sefaz que, além da relevância histórica e arquitetônica, terá estruturas melhores para atender aos cidadãos”.

Titular da Sefaz, Pricilla Santana acrescenta: “Dentre todos os investimentos que o Estado tem conduzido, alguns são muito simbólicos por sua relevância artística e arquitetônica, como é o prédio da Sefaz, que conta muito da evolução do próprio Centro Histórico da capital. Para além desse resgate, estamos falando de um prédio que abriga atividades relevantes, sendo que a reforma também contribuirá para as rotinas dos servidores e para valorizar essa parte da cidade”.

Segundo a diretora de administração do órgão estadual, Adriana Oliveira da Silva, ao longo de dois anos serão recuperados e pintados revestimentos, ornamentos e esquadrias dos quatro lados da construção, bem como dos pátios internos e poços de luz. O canteiro de obras já está sendo estruturado e as atividades serão iniciadas pelo bloco da Siqueira Campos.

Por meio de uma decapagem criteriosa, pontual e sequencial das camadas de tintas existentes sobre as paredes da fachada, observou-se que a construção possuía, em seus primórdios, cores em tons de ocre e bege claro. Os tons cromáticos serão mantidos, como forma de destacar a volumetria dos elementos e respeitar os padrões estéticos da época.

Histórico

Os prédios que sediam a Sefaz foram construídos em várias etapas na primeira metade do século passado. a partir de um projeto original assinado pelo renomado engenheiro e arquiteto Theóphilo Borges de Barros. O primeiro bloco (que faz frente com a avenida Mauá) foi edificado na década de 1920, com porão e dois pavimentos, então abrigando a administração do Porto.

Na década seguinte, a construção recebeu mais um andar, passando a abrigar também o Banco do Estado do Rio Grande do Sul e a Secretaria da Fazenda gaúcha. Nos anos 1950, outros dois pavimentos foram adicionados.

Já o bloco da avenida Siqueira Campos ganhou forma nos anos de 1930, tendo um porão e três pavimentos e sendo ocupado pela SOP. Na década de 1950, recebeu mais três pavimentos e passou a abrigar o Tribunal de Justiça do Estado. Só no final dos anos 1970 a Sefaz passaria a utilizá-lo.

Nos anos 1980, com o tombamento da Praça da Alfândega e de seu entorno, o conjunto edificado da Sefaz passou a ser considerado patrimônio do Estado, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae).

(Marcello Campos)

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show da Tarde