Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Voltar Câncer de pele: ator Hugh Jackman faz alerta após possível retorno da doença; veja 6 sintomas do tumor

Nesta semana, o ator Hugh Jackman revelou que fez biópsia de duas manchas devido ao risco de câncer de pele. “Acabei de ir à médica e ela apenas viu pequenas coisas que, na opinião dela, poderiam ou não ser célula basal. Eu vou descobrir em dois ou três dias e compartilho com vocês”, disse o ator em vídeo publicado em suas redes sociais.

Segundo informações da CBS News, Jackman, já foi tratado em 2013, 2014 e 2016 carcinoma basocelular, o tipo mais comum e não tão potencialmente prejudicial quanto alguns outros tipos de tumores de pele, como os melanomas. Diante da possibilidade de um novo caso da doença, o ator fez um alerta pedindo que as pessoas usem protetor solar quando forem se expor ao sol, em especial durante o verão, que irá começar em breve no hemisfério norte.

“No mundo dos cânceres de pele, o carcinoma basocelular é o menos perigoso. Entretanto, se eu puder usar essa oportunidade para lembrá-los que o verão está chegando para nós aqui no Hemisfério Norte. Por favor, use protetor solar. Não vale a pena, não importa o quanto você queira se bronzear. Confie em mim. […] Tudo isso aconteceu há 25 anos e está sendo revelado agora. Coloque um pouco de protetor solar – você ainda terá um tempo incrível lá fora”,  alertou Jackman.

De acordo com a American Cancer Society, cerca de 8 em cada 10 cânceres de pele são carcinoma basocelular. Esse tipo de tumor surge mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas. Podem se desenvolver também nas áreas não expostas, ainda que mais raramente.

Outros tipos de câncer de pele são o carcinoma espinocelular, o segundo mais prevalente, e o melanoma. Embora esse último seja o tipo menos frequente – ele corresponde a apenas 1% dos cânceres de pele – é o mais letal, representando 80% de todas as mortes pela doença.

A boa notícia é que em todos os casos acima, até mesmo no melanoma, o diagnóstico e tratamento precoce aumentam consideravelmente a possibilidade de cura. Confira abaixo seis sinais de alerta para o câncer de pele.

Pintas assimétricas

Os dermatologistas recomendam seguir a regra do “ABCDE” para identificar sinais perigosos. Cada letra corresponde a uma caraterística a ser observada em pintas ou manchas na pele, são elas: assimetria, borda, cor, dimensão e evolução.

Em geral, pintas ou manchas com características assimétricas e borda irregular são malignas. A Skin Cancer Foundation também aconselha as pessoas a procurarem por “patinhos feios” –verrugas feias que claramente se destacam das demais.

Pintas com vários tons

A letra “C”, na regra “ABCDE” é um forte indicador de risco. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), pintas saudáveis ​​são tipicamente de uma única cor, como marrom escuro, claro, rosa ou tom de pele.

Pintas malignas, em geral, mudam de cor gradualmente e contém vários tons de marrom, preto ou bege, bem como manchas rosa, vermelho ou roxo.

O tamanho importa quando se trata de toupeiras suspeitas. Os melanomas geralmente se apresentam um pouco maiores que uma ervilha ou uma borracha de lápis, cerca de seis milímetros ou um quarto de polegada.

Pintas maiores que uma ervilha

A letra “D” na regra diz respeito ao diâmetro ou dimensão da pinta. Em geral, pintas e manchas benignas medem menos de 6 mm de diâmetro.

“A maioria das pintas, se forem benignas, são menores do que uma borracha na ponta do lápis. Se você tem uma pinta maior do que uma borracha de lápis, isso não é em si um sinal de alerta e preocupação. Mas, quando avaliado com a outra constelação de sinais, é algo que deve ser analisado por um dermatologista”, disse o dermatologista Zaineb Makhzoumi, da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos.

Sangramento ou manchas escamosas

O carcinoma espinocelular manifesta-se nas células escamosas, que constituem a maior parte das camadas superiores da pele. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, mas é mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc. A pele nessas regiões, normalmente, apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade. Às vezes, as manchas podem sangrar e tornar-se ulcerosas.

Pessoas com um histórico de exposição intensa ao sol são mais propensas a ter esse tipo de câncer de pele, pois cada queimadura solar ruim e intensa, aumenta o risco desse tipo de tumor. Pessoas de pele clara e olhos claros também apresentam um risco aumentado.

Feridas que sangram podem ser um indicativo de carcinoma basocelular. Embora a taxa de sobrevivência desse tipo de câncer seja alta, o diagnóstico e tratamento precoce são fundamentais.

Manchas escuras nos genitais

O melanoma pode se apresentar como lesões escuras nas membranas mucosas, ou seja, dentro do nariz, boca, vagina ou ânus, ou nos dedos das mãos e dos pés. Este subtipo de câncer agressivo é extremamente raro e representa menos de 2% de todos os casos de melanoma.

Ao contrário de outros tipos de melanoma, o da mucosa não é afetado pela exposição ao sol. As lesões que aparecem na boca estão associadas ao tabagismo, dentaduras mal ajustadas e a ingestão ou inalação de substâncias cancerígenas.

Saliências cerosas e peroladas na pele

O carcinoma basocelular, caso do ator Hugh Jackman, que normalmente aparece em partes do corpo expostas ao sol e se apresenta como um nódulo ceroso ou um crescimento pequeno, liso, brilhante ou pálido. No entanto, nem sempre essa mancha é elevada e pode se assemelhar a uma cicatriz plana.

Segundo Makhzoumi, um dos sinais do carcinoma basocelular é uma coloração perolada quando as bordas são esticadas.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Madrugada