Terça-feira, 23 de julho de 2024

Terça-feira, 23 de julho de 2024

Voltar Campanha de vacinação contra a gripe influenza começa nesta segunda-feira no Rio Grande do Sul

Tem início, nesta segunda-feira (10), a campanha de vacinação contra a gripe influenza no Rio Grande do Sul. No Estado, o público-alvo é de mais de cinco milhões de pessoas.

Diferentemente das últimas edições, a estratégia deste ano é que a vacinação seja em etapa única, ou seja, sem o escalonamento dos grupos elegíveis. Essa orientação pode ser adaptada pelos municípios, conforme a estrutura, as condições e os cronogramas propostos localmente.

A Secretaria Estadual da Saúde (já realizou a distribuição de 828 mil doses aos municípios. Novos repasses estão previstos ao longo das próximas semanas, conforme a chegada dos lotes encaminhados pelo Ministério da Saúde.

A meta é vacinar 90% dos grupos prioritários das crianças, gestantes, puérperas, pessoas com 60 anos ou mais, povos indígenas, professores e trabalhadores da saúde. Somados, esses grupos representam cerca de 3,6 milhões de pessoas nas populações estimadas. Para os demais públicos elegíveis, que totalizam mais 1,4 milhão de pessoas, serão disponibilizadas as doses – porém, sem estipulação de cobertura a ser atingida.

“A vacinação é uma das medidas de prevenção contra a doença, suas complicações e os óbitos. Além disso, contribui para a redução da circulação viral na população, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco”, explica a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri.

Dia D em 6 de maio

Junto ao Conselho de Secretários Municipais de Saúde, a SES pactuou a realização do Dia D da campanha em 6 de maio. Na data, haverá postos abertos de forma extraordinária para a vacinação. Nacionalmente, o Ministério da Saúde não estipulou essa data de mobilização, cabendo a definição a cada Estado.

Público-alvo estimado para a campanha da gripe influenza no Rio Grande do Sul:

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos – 753.643
Gestantes e puérperas – 108.654
Pessoas com 60 anos ou mais – 2.219.023
Trabalhadores da saúde – 361.210
Indígenas – 34.807
Pessoas com comorbidades – 665.072
Adolescentes em medidas socioeducativas – 1.249
População privada de liberdade – 33.699
Funcionários do sistema de privação de liberdade – 6.745
Professores – 153.385
Forças de Segurança e Salvamento – 28.178
Forças Armadas – 38.899
Pessoas com deficiência – 488.941
Caminhoneiros – 128.564
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso – 29.034
Trabalhadores portuários – 4.051
Total – 5.055.154
Queda nas coberturas nos últimos anos

O Rio Grande do Sul (assim como os demais Estados) tem registrado uma diminuição na procura pela vacina contra a gripe influenza. Nos últimos cinco anos, apenas em 2020 foi alcançada a meta de ao menos 90% de cobertura, sendo que o ano passado foi o de menor índice na série histórica.

A influenza é uma infecção viral aguda, que afeta o sistema respiratório e é de alta transmissibilidade. Os sintomas podem ser confundidos com os da Covid-19. A vacina usada na campanha é composta por três tipos de cepas do vírus Influenza (A-H1N1, A-H3N2 e B).

Para adultos, o esquema é de dose única anual. Crianças abaixo dos nove anos de idade, se estiverem fazendo a imunização para a gripe pela primeira vez, recebem duas doses, com intervalo de quatro semanas entre elas. A dose pode ser aplicada na mesma ocasião de outras vacinas, inclusive junto da vacina contra a Covid-19.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã