Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Voltar Brasil bate recorde na expansão da capacidade de geração energética em 2023

Durante o ano de 2023, o Brasil instalou 291 usinas, com 10,3 gigawatts (GW) de capacidade instalada, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Foi o maior crescimento anual da série histórica da agência reguladora, iniciada em 1997.

Com isso, o Brasil somou 199,3 GW de potência fiscalizada. Desse total em operação, 83,67% das usinas são consideradas renováveis. Quase 90% da expansão em 2023 foram puxados pela geração eólica e solar, que, juntas, somam 8,9 GW de potência.

Os parques eólicos foram responsáveis por 47,65% da expansão da matriz energética, com 140 unidades operacionais totalizando 4,9 GW. As usinas solares responderam 4,07 GW, seguidas de 33 usinas termelétricas (1.214,9 MW), 11 pequenas centrais hidrelétricas (158 MW) e três centrais geradoras hidrelétricas (11,4 MW).

Essas instalações foram concluídas em 19 estados distribuídos pelas cinco regiões do Brasil, com destaque para a expansão acima de 2 GW nos estados da Bahia (2.614 MW), Rio Grande do Norte (2.278,5 MW) e Minas Gerais (2.025,7 MW). Só no mês de dezembro, a Aneel registrou a entrada em operação comercial de 51 unidades geradoras, que acrescentaram 1,9 gigawatt (GW) à capacidade instalada no país.

“Esses números são resultados do trabalho do Governo Federal, do Ministério de Minas e Energia e da ANEEL para garantir o suprimento de energia elétrica no Brasil. Estamos empenhados em tornar o sistema elétrico brasileiro cada vez mais seguro, além de incentivar a produção através de fontes de energias limpas e renováveis”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Sol e vento

O diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa, alertou que essa grande oferta de energia renovável se tornou um desafio para o Brasil encontrar mecanismos para absorver a grande oferta prevista para a próxima década.

O boom de projetos de fontes renováveis no Brasil se deve à abundância de sol e vento, além da redução de custos nos equipamentos globais. Junto a isso, o excesso de subsídios, cujo custo é repassado para a conta de luz, impulsionou o setor em uma “corrida ao ouro”, de empresas para implantar novos projetos no Brasil.

Novas usinas

Ao total, 291 usinas entraram em funcionamento no ano de 2023. O maior número (140) corresponde a eólicas, que produziram 4.919,0 MW, sendo responsáveis por 47,65% da expansão da matriz. Em segundo lugar, estão as 104 novas usinas solares fotovoltaicas, que geraram 4.070,9 MW. Além destas, 33 termelétricas, 11 pequenas hidrelétricas e 3 centrais geradoras hidrelétricas compões as usinas que entraram em operação no ano de 2023.

As novas usinas estão localizadas em 19 estados brasileiros nas cinco regiões do país. Os estados que mais apresentaram expansão foram Bahia, com 2.614,7 MW; Rio Grande do Norte, com 2.278,5 MW e Minas Gerais, com 2.025,7 MW.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Madrugada