Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Voltar Ataques em escolas: governo fortalecerá rondas e usará agentes na internet

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, disse que o governo federal vai destinar, por meio de edital, R$ 150 milhões para reforçar o patrulhamento escolar em colégios da rede municipal e estadual de ensino no Brasil. A pasta vai alocar 50 policiais para monitorar a internet para averiguar a existência de outras ameaças de ataques como os que ocorreram recentemente em Santa Catarina e em São Paulo.

“O valor inicial destinado é de R$ 150 milhões do Fundo Nacional de Segurança Pública, que serão ofertados aos Estados e municípios que detêm a competência constitucional para fazer esse patrulhamento ostensivo”, afirmou Dino. “Com isso, vamos fortalecer esse trabalho de policiamento e das guardas municipais.”

Já o monitoramento das redes é considerado de âmbito nacional. “Estou constituindo, na nossa Secretaria de Segurança Pública, um grupo emergencial de monitoramento daquilo que é chamado de deep web, dark web, porque estamos vendo, no nosso País, uma ideia de pânico (envolvendo) ameaças a outras escolas, a universidades”, disse Dino. “Nós teremos 50 policiais que vão se dedicar nos próximos dias exclusivamente ao monitoramento dessas ameaças na internet.”

Grupo

Já o ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou a criação de um grupo de trabalho interministerial para pensar em políticas públicas para combater o aumento da violência nas escolas. “Que nesse grupo de trabalho possamos ouvir os secretários de Educação, ouvir os prefeitos, os especialistas e possa construir politicas de prevenção à violência nas escolas.”

Esse GT contará com a participação dos ministros da Educação, Justiça, Direitos Humanos e Secretaria-Geral. O titular dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, lamentou o ataque em Blumenau durante uma agenda oficial. “Um país que mata crianças é tudo, menos democrático. É tudo, menos decente. Estamos falhando miseravelmente com as crianças e adolescentes, com as pessoas que mais precisam de nós. Temos que admitir isso para podermos dar um passo à frente”, disse.

Reação estadual

O governador de Santa Catarina, Jorginho Mello, lamentou o atentado e determinou a abertura de investigação. “É com enorme tristeza que recebo essa lamentável notícia”, disse.

Em nota, o procurador-geral de Santa Catarina, Fernando da Silva Comin, informou que o Ministério Público “irá acompanhar todos os desdobramentos no âmbito criminal e cível”. A instituição também pediu ao público em geral e à imprensa que não divulguem imagens, o nome e demais informações pessoais do autor, “para evitar o estímulo para novos ataques”.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã