Segunda-feira, 24 de junho de 2024

Segunda-feira, 24 de junho de 2024

Voltar Adolescente afirma em depoimento à Polícia Federal que invadiu a conta da primeira-dama Janja da Silva em rede social

Um adolescente de 17 anos afirmou à Polícia Federal (PF) que foi o autor da invasão da conta da primeira-dama, Janja Lula da Silva, na rede social X (antigo Twitter). Ele foi alvo de mandados de busca e apreensão no Distrito Federal nesta quinta-feira (14).

O depoimento é mantido em sigilo e foi colhido na manhã desta quinta, em Brasília. Conforme os investigadores, o jovem confessou que conseguiu as senhas da primeira-dama de forma ilegal e entrou no perfil dela para realizar as postagens. Dois mandados foram cumpridos, um na casa da mãe do suspeito, em Sobradinho (DF), e outro na casa do padrasto em Santa Maria (DF).

Durante as buscas, o menor de idade já tinha afirmado aos policiais que tinha hackeado o perfil de Janja. A afirmação foi repetida no depoimento formal à PF, horas depois. Em razão da idade, ele foi ouvido na condição de informante.

O perfil da primeira-dama no X foi invadido por volta das 21h30 da última segunda-feira (11). Ao acessar a conta, o hacker fez publicações ofensivas contra Janja, o presidente Lula e o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Entre as publicações, foram proferidas fake news, xingamentos, mensagens misóginas e de cunho sexual.

Pouco tempo após a invasão, a conta foi bloqueada a pedido da Polícia Federal, segundo o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Andrei Passos.

A primeira-dama se pronunciou por meio de sua conta no Instagram.

“Na noite de ontem [segunda], os ataques de ódio e o desrespeito que eu sofro diariamente chegaram a outro patamar. Minha conta no X foi hackeada e, por minutos intermináveis, foram publicadas mensagens misóginas e violentas contra mim. Posts machistas e criminosos, típicos de quem despreza as mulheres, a convivência em sociedade, a democracia e a lei”, escreveu.

Janja disse que sofreu uma agressão frequentemente dirigida às mulheres.

“Eu já estou acostumada com ataques na internet, por mais triste que seja se acostumar com algo tão absurdo. Mas a realidade é que a internet é um espaço potente para o bem e para o mal. E é comprovado que nós, mulheres, somos as que mais sofrem com os ataques de ódio aqui nas redes. O que eu sofri ontem [segunda] é o que muitas mulheres sofrem diariamente”, afirmou.

Na terça (12), equipes da PF já tinham cumprido mandados em Belo Horizonte (MG) e em Ribeirão das Neves (MG).

Foram feitas análises nos computadores e celulares que estavam em posse de um homem de 25 anos. Esse alvo prestou depoimento e negou a invasão. Os investigadores apuram se os suspeitos já identificados agiram em conjunto para hackear o perfil.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Madrugada