Quinta-feira, 19 de maio de 2022

Quinta-feira, 19 de maio de 2022

Voltar Aberta investigação sobre ameaças de morte contra Lula

A Polícia Civil de São Paulo determinou a abertura de inquérito policial para investigar ameaças de morte contra o ex-presidente Lula (PT). O inquérito vai ser aberto após uma petição do advogado Cristiano Zanin. O petista é pré-candidato à Presidência e lidera os cenários da disputa segundo a última pesquisa Datafolha.

As ameaças foram feitas no site do Partido dos Trabalhadores (PT) por uma pessoa que se identificou como Luiz Carlos Prestes – para o delegado responsável pelo caso, Laércio Ceneviva Filho, – uma forma de incriminar a própria esquerda.

Nas mensagens, o autor diz ainda que vão ser as pessoas do próprio partido que irão matar Lula, que a morte vai acontecer no Estado de São Paulo (“talvez no interior”) ainda neste ano. As mensagens foram publicadas nos dias 24 de março, 5 e 7 de abril.

Pré-candidatura

O PT marcou para 7 de maio o lançamento oficial da pré-candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República. A data foi confirmada pela presidente do partido, deputada Gleisi Hoffmann (PR), e pelo vice, deputado José Guimarães (CE), após reunião, na última segunda (11), de membros da direção nacional da sigla.

Até a última semana, integrantes da legenda esperavam que o evento de lançamento fosse ocorrer ainda em abril, no dia 30.

Segundo José Guimarães, o “adiamento” atende a um pedido da direção nacional do PSOL – partido que estuda apoiar a chapa presidencial do PT já no primeiro turno das eleições de 2022.

A decisão do PSOL será anunciada justamente no dia 30 e, por isso, o PT decidiu adiar em uma semana o lançamento oficial da chapa. Até o fim do mês, a executiva nacional do PSOL deverá decidir a “tática eleitoral” do partido – lançar candidatura própria ou apoiar outro presidenciável.

Entre as condições apontadas pelo PSOL para apoiar a candidatura de Lula já no primeiro turno, está o compromisso com a revogação do teto de gastos – regra que, desde 2017, diz que a maior parte das despesas públicas não pode crescer mais que a inflação.

Também no dia 30, a cúpula do PSB estará reunida em evento interno do partido. Desde 2019, a sigla trabalha em uma “autorreforma”, com atualização do estatuto e das regras da legenda – a data marcará o lançamento desse material.

O evento de lançamento deve se restringir à pré-candidatura de Lula, sem abarcar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) como vice-presidente. Isso, porque a chapa só será submetida ao referendo do próprio PT nos dias 4 e 5 de junho, no encontro nacional do partido.

Na última sexta (8), o PSB já anunciou oficialmente a indicação de Alckmin como vice na chapa de Lula.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Zelensky alerta que Rússia pode usar armas químicas e pede mais sanções
Inflação anual nos Estados Unidos chega a 8,5%, a maior em 41 anos
Deixe seu comentário

No Ar: Show Da Manhã